quarta-feira, setembro 06, 2006

A outra metade





Metade frágil, metade prepotente. Metade competente, metade insegura. Metade segura, metade hesitante. Metade divertida, metade melancólica. Metade sol, metade lua. Metade verso, metade reverso.
Metade do rosto. Metade da alma.
A outra metade perdia-se no labirinto de si própria, nos esconderijos que cavava dentro de si, como grutas concêntricas nas quais ninguém penetrava. Nem ela.





Foto by Sandrine Huet

25 comentários:

amazing disse...

Metade?
Metade de quê?
Metade de nada.
Mas metade de nada é nada.
Cara-metade.

Algo que se completa, que se complementa.

KISS

Diana disse...

e há que nos conhecermos...conhecermos todas as metades.. e sabê-las harmonizar..o que é um pouco dificil. gostei do texto, mas hoje gostei ainda mais da foto :P *

copa-rota disse...

Gostei de metade do post, Glasslife...ou seja do texto, porque neste pc onde estou não consigo ouvir a música.
Quando a ouvir, dou-te os parabéns pela outra metade, ehehe...

Mas deixo-te um beijo...inteiro.

Fica bem ;-)

mac disse...

Todos nós temos essa metade, umas vezes visível, outras vezes enterrada no fundo de nós próprios, qual livro esquecido no fundo de uma gaveta.
Como sempre, a música é fantástica.

Teresa Durães disse...

hum....

(e depois perguntas sobre o tempo)

Gostei do que li

AnaGarrett disse...

As metades complementam-se.

Nilson Barcelli disse...

Somos sempre várias metades.
Ainda que muitas vezes não em partes iguais...
Beijo.

DIAFRAGMA disse...

... e assim se mantinha em equilíbrio.

ps: Grutas? Tema recorrente este... ;)

diabinho disse...

Andas um bocado dividida, perdida nas metades da vida...
beijinhos inteiros...

FOTOESCRITA disse...

Somos feitos de muitas partes que se completam ou se chocam.

Vida disse...

Não gosto de metade, ou tudo inteiro ou nada, quando sou, sou eu toda, não gosto nem de dar nem de receber, metade.
Foto lindíssima.

Beijos.

naturalissima disse...

Sublime! Como sempre!
O Yin e o Yang da vida... as metades completam-se.

Um beijo
Daniela

sónia disse...

somos feitos de metades (nossas, dos outros), mas de metades que se complementam e que formam o todo que somos!
temos tudo dentro de nós...resta apenas encontrar o que procuramos sem saber ;)

weg disse...

Se conseguíssemos entrar nos próprios esconderígios, conseguiríamos ter alguma paz?

Bom texto.

:)

Rita Contreiras disse...

Em cada parte está contido o todo, que se revela aos poucos no seu doce mistério...Grande abraço.

Kristal disse...

Não se perca nesse labirinto.
Venha se perder no meu, que é o verdadeiro labirinto de Kristal.

greentea disse...

ou tudo ou nada

meias metades são indefinições

efvilha disse...

Seremos, todos nós, essas metades aparentemente incongruentes?
Talvez, sim.
O que é a nossa corporeidade? O que é a nossa mente/alma?
E o que é o nosso "corpo sem órgãos" que se avoluma, e tanta amargura sente por se ver seguro nesta masmorra que é nosso corpo?
Somos essa inquietante, impressionante dualidade e, quem sabe, até uma trindade indecifrada e angustiante.
A suavidade de um beijo cordial e amigo.

Estranha pessoa esta disse...

Gostei das linhas.
Gostei da metade do rosto.
Gostei disto!

Metades?
Todos temos.
Encontrar a ponte entre elas... é que é mais difícil.

Um bom fim-de-semana

.*.Magia.*. disse...

Olá!!!!

Em metades de divides e em metades te completas, o equilibrio está no fino e transparente véu que as divide...

Um beijinho "in" cartaz com magia por inteiro!!!!

herético disse...

o gosto da maçã está na duas metades!... ambas se completam no prazer de se desvendar!

woman's secret disse...

metade menina... frágil
metade mulher... amante

Beijos e bom fim de semana

A Lei da Rolha disse...

Deves falar de doses, não meias-doses...he,he,he...estou a brincar contigo! Está fantástico!

melgadoporto disse...

Odeio labirintos, ainda mais quando começo a passar mais do que duas vezes pelo mesmo local. Mas há que continuar pois lá dentro perdidos não podemos nem devemos ficar. Coragem, perseverança, raciocínio. Pode demorar, como em tudo, mas resolve-se!
Já os esconderijos são algo bem mais elaborado.! Há quem se delicie nesse jogo do “esconde esconde”. Eu também gostava, mas daquele em que se contava até 10...
:)

o alquimista disse...

Das duas uma...uma sem outra nada...por inteiro se sonha a vida...

Doce beijo