terça-feira, setembro 26, 2006

O voo





Lembro-me de um azul infinito que nos acolhia o voo. Rotas cruzadas por um vento que nos aproximou, voámos naquela luz que brilhava sem cegar. Sabíamos da terra onde pousávamos, mas o voo levava-nos a limites em que pensávamos ser um, rumando a um destino único.
Lembro-me, sim. Daquele planar suave sob o calor do sol, da euforia frenética de alguns dias, até de alguns desvios do caminho e de quedas em voo picado. Lembro-me de tudo o que nos aproximou e afastou.
Por vezes, as rotas desviaram-se, da mesma forma como se tinham cruzado. Talvez sejam assim todos os voos. Reconhecemo-nos novamente como seres distintos, por momentos as almas deixam de tocar-se lá em cima, no azul que parece tornar-se finito, muito finito.
Talvez a luz já não seja tão brilhante. Não tenho nem terei nunca certezas. Talvez os ventos nem sempre soprem na direcção desejada. Mas o voo que fazemos juntos continua a ser um encontro de almas, nas rotas sem limite.





Foto by Jozef Zidarov

43 comentários:

sotavento disse...

Mas houve mesmo um tempo em que éramos pássaros, não foi?!... :)

Cristiano Contreiras disse...

do momento íntimo ao infinito dos sentidos.

as velas ardem ate ao fim disse...

as vezes a nossa sintonia é engraçada.Voar e preciso.

Bjocas

José Manuel Dias disse...

...todo o tempo...para darmos valor, ao valor do tempo ;-)

JPD disse...

Bonita esta construção sobrevoada.

JMB a.k.a. GIRASSOL disse...

nada mais sublime que o reconhecimento de almas.

pitanga disse...

"Lembro-me de tudo o que nos aproximou e afastou".
Como consegues?
beijos

pitanga disse...

Vai ao Pitanga e entenderás!
boa noite

mac disse...

Por vezes as rotas dos voos são diferentes, mas o reeencontro é um prazer. "Voa mais alto".

Ant disse...

Certezas? Já nem as exijo. Beijos

Teresa Durães disse...

e às vezes os pássaros levam fisgadas, noutras abrigam-se cansados... que é o meu caso. bom dia

Ana P. disse...

Querida, hoje deixo-te um beijo.

Cris disse...

Talvez os ventos nem sempre soprem na direcção desejada. Mas a certeza está que os ventos irão sempre soprar, seja para onde for, e eles lá sabem para onde nos levam.

1 beijo

efvilha disse...

Estonteante singularidade essa,
a de nossas todas incertezas.
Assim como frágeis são
as certezas nossas
no estridente quebrar
constante da existência
da "vida de vidro".

Vanda Baltazar disse...

Eu vim numa nuvem.

E vivo em azul infinito.

:) todas as viagens se iniciam por dentro de nós...só depois poderemos abarcar e abracar o mundo.

:)

Van

Ana Luar disse...

E tv porque os ventos sejam ciclicos as almas acabem sempre por se encontrar.
Beijos eternos

Bia disse...

É o voo da nossa vida... e quando voamos na mesma direcção ou em voo "picado" mas a alma é a mesma e o céu que nos cobre tem o mesmo azul é de nunca se esquecer, mas até os aviões por circunstâncias que lhes são alheias muitas vezes têm que mudar o seu destino, fica-nos na lembrança aquele voo de prazer...
Adorei ler-te, está cheio de metáforas maravilhosas.
Um sorriso para ti.

Lmatta disse...

Boa menina gostei do teu voo
beijo

Maria Clarinda disse...

E como o voo é por vezes suave e belo, outras turbulento...mas, sempre lindo.
Jinhos mil

Anónimo disse...

Para vôos plenos e seguros, há que se cuidar muitissimo bem das próprias asas.
Um abraço pra ti.

Luisa disse...

É lindo este texto sobre os desencontros dos vôos mas temos de nos lembrar que as aves são migratórias...Às vezes voam para outras paragens mas sempre voltam ao local de origem.

frog disse...

..."Mas o voo que fazemos juntos continua a ser um encontro de almas, nas rotas sem limite."


Lindoooooooooo!.....


Um beijo!

Francieli Rebelatto disse...

Houve e sempre haverão, momentos sublimes de vôos longos entre as estações, outros momentos de repouso na copa de uma árvore segura. São apenas vôos, uns melhores, outros desconcertados. Vôos, vidas...

Sejamos sempre pássaros dispostos a sobrevoar sobre novas paisagens, sobre novos sonhos...

Beijos...

anacanela disse...

texto bonito demais pelas ideias e sentimentos bons que traz nas asas...esse voo junto...é das melhores coisas, é um abraço livre! uma aventura terna* um abraço

Estranha pessoa esta disse...

E que cruzem sempre os olhares.....
Nessa Rota!

**

Rui disse...

Uma questão de ir procurando as correntes mais favoráveis. Aquelas que nos vão sustentando no vôo da vida.

.*.Magia.*. disse...

E se...

PAULO SANTOS disse...

mais um post em que me deixas sem palavras!
Adorei.

Um beijo


Paulo

naturalissima disse...

BRILHANTE!
Amiga, continuas em grandes voos!
Continuo a adorar ler-te... és simplesmente bela.

"Talvez os ventos nem sempre soprem na direcção desejada. Mas o voo que fazemos juntos continua a ser um encontro de almas, nas rotas sem limites."

Magnífico.
Sinto-me e vejo-me dentro deste "VOO".

Um beijinho, amiga
Daniela

henry disse...

adorei fazer este voo na vossa companhia.
:-)

notinha: tens uma mini explicação/resposta no post "Travessia" no OutrosTemas.blog...

:-)

happiness...moreorless disse...

nao ha nada como voar juntos...

um beijinho

herético disse...

"Mas o voo que fazemos juntos continua a ser um encontro de almas, nas rotas sem limite..."

Quem disse terminar com "chave de oiro" era privilégio dos sonetos?! ...

perdi pela demora em ler...

greentea disse...

as luzes, a LUZ , VAI-SE TORNANDO DIFERENTE COM OUTRAS TONALIDADES, CONSOANTE PASSAM AS ESTAÇOES DO ANO...

UM BEIJO

Alguém ou ninguém disse...

Enquanto me explicava o que fazia uma mulher de família na composição de um blog, entendi a irrefutabilidade das decisões que nos aproximam, deixando-nos cada um em seu espaço. Louvo o seu, e admiro o doce enlace fraterno dos presentes, desligado que estou do mundo, esquecido que fico da notícia. Regresso para a homenagear na persistência e abraçá-la na dor da tristeza próxima que a faz estar aqui. Dirijo-me a si, por aqui, sem ver ninguém que conheça, misteriosamente anónimo de vontade e desterrado de prazer. Voltarei, espere por mim. Ou apague-me, tanto faz.

Nilson Barcelli disse...

Voar assim continua a valer a pena.
Gostei das tuas palavras, serenas, mesmo na falta de ventos, desvios e outras dificuldades.
Um beijo.

Diana disse...

e vê o meu ultimo post, pra ver se queres participar.. ;)

Se mais alguem quiser.. não se acanhem!

vida de vidro disse...

Esclarecimento:

Não é meu hábito apagar comentários, a não ser que sejam ofensivos para mim ou para outros. Mas gostava que quem comenta se identificasse. Na verdade não permitir comentários anónimos no blogger é o mesmo que nada, dado que qualquer um pode ter uma identidade sem qualquer identificação, nem sequer um mail. A única solução é moderar os comentários, mas não gostava de ter que fazer isso. Por enquanto.
Um beijo para todos

weg disse...

E já que a perfeição não existe, caríssima, aproveita o voo enquanto há.

Voa! Voem!

Bjs :)

Estrela do mar disse...

...uma lágrima minha que eu quero que se transforme num sorriso para te desejar uma boa noite...


Besitos

Frioleiras disse...

Adoro pássaros ... talvez o meu animal perferido ... a liberdade, o voo acima de tudo e todos, o branco, o ar, a beleza... tudo!

Miudaaa disse...

"um encontro de almas...nas rotas sem limite"... respira-se a liberdade pura e simples de quem ama voar no azul infinito sem nunca querer parar e muito menos descobrir o fim...
Gostei muito. Muito mesmo... e acredita que os ventos sopram sempre na direcção desejada... nao será apenas uma forma dele exigir mais a nossa atenção?
um beijo da miudaaa

naoseiquenome usar disse...

Até ao planar no voo do mais arguto, afinal existe um mapa, com coordenadas que têm de ser ajustadas a cada momento. Assim, às vezes encontramos-nos e encontramos e encontram-nos no voo, outras vezes, é preciso mudar rota.
Afinal tudo é finito, até o azul...

Beijo.

FOTOESCRITA disse...

Gostei muito. Afinal o que importa é o voo.