quarta-feira, outubro 15, 2008

Trilho antigo



Enfrento aquele trilho antigo
onde os pés magoados já sabem os escolhos
espinhos conhecidos a evitar
Levo comigo a antiga mala para as cinzas
de fogueiras altas
os ecos de risos nas montanhas e um saco
cheio de enganos
Pesado é o lastro que em mim se cola
sem afago de partilhas desejadas
sei que o caminho não se adoça em verde relva
nem as pedras jorram água sobre as chagas.

Por isso hesito no passo
e aplaino veredas onde se escondem mágoas.

26 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

Realmente as vezes os caminhos antigos estao cheios de pedras mas temos que continuar a caminhar mesmo que os nossos pé estejam extremamente magoados...tu entendes me...

um bjo

Poemar disse...

"...Aplaino veredas onde se escondem mágoas..."

O esforço que precisamos fazer pra dirimir o que nos pesa na bagagem e nos atrapalha a seguir viagem...

Belo!

***Abraços!

Gerlane disse...

E eis que é isto que tenho tentado fazer ultimamente, em nome da sobrevivência: "aplainar veredas onde se escondem mágoas". Descerto, não é fácil, porém, é possível.

Abraços te deixo!

Véu de Maya disse...

libertar a mágoa pela poesia é um voo sublime...gostei de ler...o lírico me convenceu...a beleza da imagem descarrega o poema...


:)

Ego. disse...

Boa caminhada...
no seus passos a leveza da poesia!

BJUS*

Nilson Barcelli disse...

Nada é perfeito, mas eu atrevo-me a dizer que este teu poema é perfeito.
Excelente cara amiga, o meu aplauso para a tua criatividade poética.
Beijinhos.

Ad astra disse...

tantas vezes passamos o mesmo trilho...

mesmo sabendo dos escolhos,mesmo assim...


Lindo!!!

Violeta disse...

Gostei de vir aqui...
Este é oc aminho que cada um tem que fazer...

Maria Clarinda disse...

(...)Por isso hesito no passo
e aplaino veredas onde se escondem mágoas.


Ao teu lado se deixares...poderei ajudar-te a apalinar as veredas,e, enterrar bem fundo as mágoas.
Jinhos muitos

Oliver Pickwick disse...

Assim como os caminhos, as pedras também são manipuláveis. Quase nada resiste à vontade.
Um beijo!

hfm disse...

Na Linha de Cabotagem há algo para ti.

~pi disse...

suavizar o caminho a caminhar

[ gosto de levar cobertores :)




beijo





~

Papoila Sonhadora disse...

Olá! A viagem às memórias do Sentir, um mergulho no Ser... A descoberta de trilhos inóspitos mas abundantes de sabedoria, os mandamentos da Vida, os desejos da carne, a fome insaciável do espírito... Todos nós, seres humanos, às vezes percorremos caminhos difíceis, tão magoados pelas intempéries dos sentidos. Mas, nunca devemos desistir de os percorrer. Devemos buscar incentivo, conforto nas coisas boas que a bagagem da Vida carrega... E, nas menos boas devemos procurar alento, aprendizagem. Os trilhos da tua Vida podem ser de vidro, frágeis, sensíveis mas, poderá alguém fazer desse trilho de vidro, um diamante, uma tela de sentidos, um poema, um gesto... A "ESPERANçA", a luz no fundo do trilho!

Gostei imenso deste bocadinho que me proporcionaste,
Doce bj de encanto

Sandra Ferreira,

Oliver Pickwick disse...

Sobre o seu comentário:
Salvador é a primeira cidade fundada no Brasil pelos seus patrícios, os portugueses. Portanto, é um pedaço de Portugal aqui. Até nos nomes de ruas e praças. Temos o Largo do Campo Grande, Largo da Graça, Rua D'Ajuda, dentre outros nomes copiados d'além mar.
É a terceira maior cidade do Brasil, tem uma população de três milhões de habitantes, fora a região metropolitana. Portanto, cabe seis Lisboas em Salvador. É assim mesmo, tudo no Brasil é grande.
Temos 365 igrejas - uma para cada dia do ano, a maioria nos padrões da arquitetura jesuítica portuguesa. Mas, temos também outros estilos, barroco, gótico, etc.
É considerada uma das mais bonitas do Brasil e o segundo maior pólo turístico do país.
Há muitas lendas acerca de Salvador, como por exemplo, que baiano não nasce, estréia. ;) Isso por conta de que os maiores e melhores músicos e escritores do Brasil são baianos. Se você perguntar a um soteropolitano (quem nasce aqui) se ele é de Salvador, a resposta é: "Não é que eu goste de me vangloriar, mas, já que perguntou, sou sim!" ;0
Se meu livro, após o lançamento, tiver boa repercussão no Brasil, há planos da editora de lançá-lo também em Portugal, além de outros países. Portanto, me espere aí!
Um beijo!

Pelos caminhos da vida. disse...

Ainda passo por esse trilho.

beijooo.

Secreta disse...

Por vezes vemo-nos obrigadas a percorrer os memos trilhos vezes sem conta...
Beijito.

instantes e momentos disse...

belissimo blog, belo post. Gostei daqui.
Maurizio

bettips disse...

Um trilho de oiro, esse, o do pensar a serenidade em crescimento.
Bjinho

melgadoporto disse...

Sem dúvida!
Veredas estreitas, com recantos sombrios.
Luzes fundidas, que ninguém substitui.
Porque assim lhes interessa!
Caminhos sujos e escorregadios, que ninguém lava.
Porque assim lhes interessa!
Sons estranhos que ecoam e nos afuguentam.
Porque assim lhes interessa!
Até um destes dias…

pront'habitar disse...

sofrido.
de alguém que se acostumou a sofrer, mas o poeta é um fingidor. será? por vezes.
mas que o poema é belo, muito belo, é.
e suave no seu sofrimento.

musqueteira disse...

...onde tudo nasce em silêncio. no trilho das serras a vida sempre acontece

batista disse...

sempre que posso retorno aos trilhos antigos. nessas ocasiões tenho por companhia as lembranças de tantos que se foram... alegrias e tristezas se entrecruzam. retorno, sempre que posso, pois continuam a fazer parte de minha vida, embora, como disseste:

"Por isso hesito no passo
e aplaino veredas onde se escondem mágoas."

Um beijo fraterno.

JPD disse...

Mas esse, Vida de Vidro, é o labor do nosso quotidiano.
Nada é fácil ou facilitado; tudo tem de ser conquistado.
Bjs

Joe disse...

Este poema, para mim, é realmente belo. Os últimos versos são óptimos.

M. disse...

Um pouco sem esperança este trilho antigo. Quem diria sendo a fotografia tão convidativa?...

Patrícia disse...

por vezes, por mais dores que tenhamos temos que continuar. Porque as dores nao param se nós paramos de lutar

Beijinho *