quinta-feira, outubro 23, 2008

(e)liminar


eliminar
a parte de um todo
separar o que não pode
ser partido
sublimar o grito do parto
de mim
de ti
no oculto som da palavra
secreta
subliminar

23 comentários:

Walter disse...

Valerá a pena tentar apartar o indissociável?A que preço?Gostei do poema e labirinto pelo qual ele me conduziu

JPD disse...

Um belíssimo texto sobre a Criação.
Bjs

Lmatta disse...

lindo
bela foto

Poemar disse...

Parto?...Já vivenciei muitos e dolorosos!

*Beijos te deixo!

Gerlane disse...

Interessante jogo de palavras com sentido subliminar.
Inteligente!

Beijos pra ti!

.::Borboleta::. disse...

parto o momento magico da criaçao :)
gostei da forma como o expressou
beijinhos

Violeta disse...

gostava de estar ali sentada, disfarçada no meio da paisagem, em tons a preto e branco.

Felinea disse...

preciso [des]aprender a separar o que não pode ser partido.

lindas as tuas palavras.

:))

beijos.

hfm disse...

de palavra em palavra e sempre em crescendo.

Paula Raposo disse...

Só hoje me apercebi de que estás aqui!! És mesmo tu?? Beijos.

Menina_marota disse...

Será possível isso?

Belo pensamento...

Beijinho e bom fim de semana ;)

TINTA PERMANENTE disse...

Palavras contas às contas da Vida!...
Gostei!

abraços!

Nilson Barcelli disse...

Bem escrito, parabéns.
Beijinhos.

Luisa disse...

Há dores que não se podem sublimar. O que fica depois?

pin gente disse...

no limiar... sim, eliminar

beijo

Véu de Maya disse...

Breve, mas intenso como a vida. E a sua constante renovação por toda a criança que vem ao mundo e pela eterna criança dentro de nós...o teu poema eestá nessa nascente maravilhosa...gostei imenso.

abraços

~pi disse...

haverá coisa mais bela que

um parto-sopro

su b

limin ar...!?




beijo




~

M. disse...

Sublimar, sim, será isso. Gostei muito.

Multiolhares disse...

Ao sublimar o parto
sublimamos a vida
beijos

Bárbara disse...

se eliminarmos partes de um todo, deixara de haver sentido...quebra se o fluxo. contudo por vezes é necessario separar...

Oliver Pickwick disse...

Reinventaste a fissão nuclear. Sem perigos, aceleradores de partículas e reatores. Lírica e humana.
Um beijo!

O Profeta disse...

O sonho de hoje voa no amanhã
Esta terra prende-me os pés
Um fruto maduro é repasto de pássaro
Um caminho feito de lés a lés

Taça de finos aromas
Uma súplica presa na brisa da tarde
Na morada dos teus maiores desejos
Há um coração que por ti arde



Bom domingo



Mágico beijo

margarida já muito desfolhada disse...

a sinuosa e subtil palavra...

excelente poema.