quarta-feira, outubro 08, 2008

somos o que somos




somos o que somos
na teimosia de fechar à luz dos dias
a porta da nossa casa
é a sombra que se espalha pelos cantos
que cremos iluminados por fugazes fogos-fátuos
e a vida foge
num eterno carrossel de tempo escasso
nada perdura, nada é
se falhamos o caminho para a raiz das coisas
e das gentes
que nos tocam, nos olham sem ver
somos o que somos
sabendo que o tempo corre lesto
e talvez o amanhã já não permita
de outro modo ser



[Para vos desejar bom fim de semana, está no Vemos, ouvimos e lemos o meu olhar sobre o Algarve que não é só praia. Convido-vos a dar um saltinho até lá.]

31 comentários:

batista disse...

percebeste que quase nunca comento sobre imagens? pois é: as palavras me tocam mais. hoje, contudo, não tenho como não ressaltar o impacto que a imagem me causou, aliada ao belíssimo texto. valeu, mesmo!!!

deixo um abraço fraterno.

As Sombras de Fim do Dia disse...

Somos o que somos, e na vã tentativa de mudarmos, sabe-se lá porquê, acabamos por destruir o meis precioso de nós mesmos, a liberdade de sermos o que somos.

Um texto fabuloso!

*** Cris *** disse...

É isso aí, somos o que somos, eu depois de um tempo enclausurada em mim mesma resolvi prestar atenção no ar que respiro, viver minha poesia e sorrir para aqueles que me olham diferente.
Um grande abraço!

as velas ardem ate ao fim disse...

Somos o que somos.nem mais.

um bjo

mac disse...

Mas muitas vezes temos de esconder quem somos, apenas nos mostrando na intimidade do lar...

Hands of Time disse...

Somos sim senhor! E quem não gostar que deixe na beira do prato!!

Justine disse...

Mas há que fazer um esforço, se pensamos que algo está errado, antes que o amanhã já não permita...

rosasiventos disse...

vou agora ali num instante que morro crente que o maior amor é uma vez dois e, por outro lado, bem maior que dois e sempre, afinal, sempre rio virgem, mas enquanto de abraço nem sombra vou ali e volto ou volto que nem que não volte logo se não verá.

Paradoxos disse...

"somos o que somos
sabendo que o tempo corre lesto
e talvez o amanhã já não permita
de outro modo ser"

poesia?
sim!!
estas - sim - são as palavras - poesia em pleno - no seu melhor!!
- neste teu modo de ser - poetiza!!


teu beijo!

Mar Arável disse...

Somos o que somos

em movimento

em cada instante

Maria Clarinda disse...

E assim é ...por vezes realmente o tempo corre depressa, queerendo ou não...
Linda a foto...lindo o texto.
Jhs mil

hfm disse...

o tempo eternamente rolando e as nossas máscaras.

JP disse...

Parece-me ser a pressa dos grandes centros urbanos o centro deste carrossel. De tantos olhares invasores, o bilhete desta volta serve-se em torno de outros problemas, que quase fazem esquecer o prazer de girar.

Licínia Quitério disse...

Talvez. A dúvida que atormenta e incita à caminhada.

Beijinho.

Véu de Maya disse...

a pesia como véu poético do tempo que nos tece...e que é o eterno na textura do nosso ser...Lindo.
:)**

~pi disse...

cada dia um dia só




beijo ( aqiui! :)





~

Ad astra disse...

e tantas vezes somos apenas o que os outros querem que sejamos...

e esperamos...

a foto...como sempre...
(estes saltos de blogue confundiram-me, mas penso que já acertei)

Rosangela Neri disse...

Adorei, simplesmente lindo! bjs

M. disse...

Pois é, mas penso que não é por "teimosia de fechar...". É porque sendo o que somos não podemos ser de outro modo até sermos de outro modo descoberto depois do que passou. Um eterno caminho.

Mateso disse...

Pois. Nunca me tinha apercebido dos outros blogs.
Depois de comparados, sim , o fio condutor é o mesmo.
Mas eu sou mesmo assim, despassarada.
.............
Somos somente gente em passagem do ontem para o amanhã, assim breve.
Bj.

Pelos caminhos da vida. disse...

Realmente somos o que somos mesmo.

beijooo.

TCHI de Tchivinguiro disse...

Já dizia Fernando Pessoa:

«Sê plural como o universo!»

Beijinhos.

heretico disse...

somos o que somos. por isso de nada vale "fechar a luz dos dias..."

belíssimo poema.

beijos

Nilson Barcelli disse...

Excelente foto cara amiga. Foi a primeira coisa que vi quando abri o teu blogue e não podia deixar passar isso em claro.
O teu poema não fecha a luz do dia. Antes pelo contrário, ele esclarece, mostra, abre à luz aquilo que muitas vezes somos e nem sempre nos apercebemos. Muito bem, gostei imenso das tuas palavras, muito bem medidas.
Beijinhos.

SMA disse...

Sinto-me puxada a ser
.
.
.
aqui
.
bjo de cristal

TINTA PERMANENTE disse...

...e (talvez) ainda bem porque se a tal nos fosse permitido, as alegrias e as dores, seriam diferentes, porventura aquelas que não queríamos além de ficarmos com pena de não sermos aquilo que somos...
Gostei!


abraços!

CNS disse...

Somos o que fica reflectido à luz. Mas somos também o que fica para além da sombra.

Bom fim de semana

Multiolhares disse...

porqueo amanhã não existe, temos de viver o dia de hoje como fosse o ultimo
beijinhos

dona tela disse...

Eu é que fico sem saber quem sou a ler estas coisas tão importantes.

Muito boa tarde para a Senhora.

innername disse...

que ser desse modo já vale a pena, e sem lamentações. Somos o que somos, mesmo para os que vêem sem nos ver, e até para os que não vendo conseguem ver.

melgadoporto disse...

“somos o que somos
sabendo que o tempo corre lesto
e talvez o amanhã já não permita
de outro modo ser”
Convenço-me sempre de que ainda vou a tempo.
Dizem-me sempre que me estou a enganar.
Porque será!
:-)