quinta-feira, outubro 02, 2008

O caminho da água



Em cascata
em remoinho
em rápidos de queda livre
a água revolve e arrasta
o leito outrora suave.
Talvez corra, talvez pare
talvez encontre morada
onde repouse e se deite.
Talvez de doces amantes
reflicta dores e sorrisos.
Talvez de mágoas recentes
engrosse o caudal de lágrimas.

Talvez corra em remoinho
Talvez acolha sorrisos
Talvez chore com os amantes
Talvez corra
Talvez pare.


Março 2005



[A partir de hoje, está reactivado o Vemos, ouvimos e lemos, agora com comentários abertos]

19 comentários:

innername disse...

este caminho de água a lembrar-me o cesarão.
talvez corra, talvez páre
entre os murmúrios dos amantes se cale
talvez fuja e se espalhe e
na urgência do amor se embale
se enrosque entre margens e braços
e lhes dissolva os cansaços
talvez solidifique o amor na matéria da água

(a brincar às palavras que rimam)eu adoro caminhos que me levem á água, este é todo feito de humidades da vida. Por isso, certamente este sabor de fertilidade. Beijinho do Norte, Alice

Menina_marota disse...

Água
doce
salgada
leve
ou
estagnada.

Água
que percorre
caminho sinuosos
em caudais
transparentes
que se movem
em montanhas
gigantes...

Água
como a Vida
que se oferece
nas delícias
ou tormentas
dos amantes...

Um abraço e grata pela tua partilha ;))

Fa menor disse...

Talvez, talvez...
Mas caminha sempre para uma foz!

Gostei!!!

Beijinhos

mena m. disse...

E às vezes sai das margens...

hfm disse...

Os remoinhos não a deixarão parar, hoje tempestade, amnhã suavidade.

JPD disse...

Um excelente jogo de palavras, quase tão inesgotável quanto a queda de água e afinal, também, tão lento quanto o recuar da falésia que, por erosaõ da queda de água, vai recuando.
Lenta e inexoravelmente.
Bj

heretico disse...

os caminhos da água são belos. e fecundos.sempre...

beijos

jo disse...

A água é fonte da vida, por isso a sua importância. Bjs

As Sombras de Fim do Dia disse...

O caminho da água nunca pára, contorna, desvia, desce, faz um lago e transborna em cascata...

lindo texto!

naturalissima disse...

O poema é lindíssimo.
A àgua, elemento purificador...
Ela vive e move-se,... Lava-nos a alma.

Um bom fim de semana para ti :)

Luisa disse...

As águas irão todas parar no eterno descanso que é o mar.

jawaa disse...

Talvez.
Nós paramos um dia, a água não, é a eternidade...
Um abraço

O Profeta disse...

Desenfreados sentires em gotas de vidro...


Doce beijo

maria josé quintela disse...

sinuoso caminho!




beijo.

Justine disse...

Ouve-se a água, no ritmo do teu poema: umas vezes calma, outras vezes revolta. Bem conseguido:))

batista disse...

... talvez, talvez...

terno, belo.

deixo um abraço fraterno... e comentário no post anterior, rss!

tulipa disse...

Há muito que não nos cruzamos pela blogosfera, hoje voltei a cruzar o teu caminho, fiquei feliz.
Assim como a água segue os caminhos por montes e vales, cruza-se com riachos e ribeiras.

Há novidades nos meus 2 blogues; num deles mostro as minhas habilidades na escrita, 3 trabalhos meus foram publicados num livro, tou toda vaidosa...
No outro mostro as minhas outras habilidades nas fotografias, dá-me a tua opinião, pode ser?

No Dia Mundial do Sorriso, como habitualmente, distribui muitos sorrisos de forma fácil e espontânea.
Eu tenho um sorriso constante no meu rosto, mas por dentro a alma está triste, magoada.

Beijinhos.

JP disse...

Mensagem para a Laura:

Há muito tempo que me transtornam as surpresas, apesar de gostar de surpreender. Também raramente acontecem, e cada vez se torna mais difícil fazê-lo, mas hoje, ainda me interrogo, acho que me cruzei com uma agradável surpresa, só ultrapassável por um Feliz Natal tardio, em redor de tabuleiro individual.

Lee

Violeta disse...

Gostei muito.
Felicidades!