terça-feira, abril 24, 2007

Vermelhos, os cravos...




São cravos vermelhos.
De esperança. De alegria. De luta.
De sorrisos. De olhos molhados. De muitas amarguras.

Neste dia, os cravos serão sempre vermelhos.
Do desejo de franquear “as portas que Abril abriu”.
Da vontade de não as deixar fechar.

26 comentários:

naturalissima disse...

Momento merecido... com palavras e uma imagem excelentemente bem registada.
Gostei

Um bom feriado
Daniela

lena disse...

Vida de Vidro, um belo momento este

um poema que nos faz sentir com emoção “as portas que Abril abriu”.

imagem muito bela dos cravos, sempre vermelhos que simbolizam e vão assinalar este dia para sempre

um abraço ternurento

beijinhos para ti e deixo-te um cravo vermelho

lena

Anónimo disse...

25 de Abril.. SEMPRE..

um abraço

intruso

João JR disse...

Merecido destaque, e fabuloso diga-se..!
Um gd beijo para ti:)

M.P. disse...

Bom 25 de Abril. Este ano bem molhado... mas... 25 de Abril ... Beijinho grande

M. disse...

Foi como muito bem dizes e é a vontade de não deixar que ele morra. Recordaste esta data com palavras muito simples mas belas e cheias de sentido.

Opintas/Bernardo disse...

Sem 25's,bom dia e um abraço.

as velas ardem ate ao fim disse...

Feliz dia da liberdade!

bjos

herético disse...

muito belos os teus cravos....

... e o teu propósito de não deixar fechar "as portas que Abril abriu."

beijo

Grilinha disse...

São cravos vermelhos de emoções únicas para quem viveu de perto este diaem 1974.

MARIA VALADAS disse...

Cravos vermelhos... o simbolo de uma Liberdade tão esperada!

Recordo este dia com verdadeira emoção...pois há trinta e três anos... vivi com intensidade o fim de um regime que nos acorrentou duantes 48 anos!

DEMOCRACIA....SEMPRE!
LIBERDADE DE EXPRESSÂO... SEMPRE!

Um cravo vermelho para ti minha querida

Beijinhos da

maria

vida de vidro disse...

opintas/bernardo:

E se fôr com os 25's que te permitem dizer o que te dá na gana sem mais consequências que uns "inimigos de estimação" aqui pela net? :)
Bom resto de dia.

Maria Clarinda disse...

Para ti também !!!!!!

Doces Momentos disse...

passei para ler-te agradecer o carinho e deixar-te um beijito doce

Vity disse...

Ola...

Está nas nossas mãos, não permitir que essas "portas" se voltem a fechar algum dia....
Temos de viver o hoje com objectivos no amanhã .... jamais retroceder...
A nossa "liberdade" é um bem precioso que jamais podemos e devemos perder...
Parabens pelo espaço.
Beijo
Vity

Francieli Rebelatto disse...

Os carvos serão sempre vermelhos e por assim o serem serão sempre intensos, sinceros e bonitos...Sejamos cravos, então???

Quem sabe...beijos e cuide-se!!!

ninaowls disse...

Neste dia marcado por valores que dizes e bem, não podemos dispensar, lembro 74: - O meu pai morreria a 10 de abril, um lutador na oposição do regime, um homem que não viu a luz chegar. A 10 de Maio faria 31 anos.
No ano seguinte, nesta data, eu plantava uma árvore. E nunca mais esqueci 74, nem 10 de abril. O dia em que fui roubada. E nem o 25, pois a liberdade não se deixou castrar, nem com a partida do Guedes.
Hoje, me myself and i, pegamos em mim e rodamos até Penafiel. Comprei tronchudas, pencas, pepinos, pimentos, meloas, e continuei a plantar a minha horta.
Não ficou lá grande cena, aos olhos de lavradores experimentados mas encheu-me os olhos de liberdade. Depois reguei, lavei os pés e fui jantar Bacalhau na brasa. Com verde branco. Presunto de 1ª, broa de milho e tudo a que tinha direito. Cafezito no final. Cigarrito afinfado por cima. Que nisto de se ser livre tb se paga impostos. Eu estou com contas em dia. Sem cravos no processo mas com amor pela terra e pelas pessoas ainda. Os processos serão sempre dossiers extensivos, burocráticos, aborrecidos mas quando contaminados por vontades saudáveis dos homens possam fertilizar-nos, até sermos pó. Tal como o meu pai, quero partir clean nestas andanças de regimes open mind. Estendi-me. Não gosto de cravos, apenas neste dia. De ti, todos os dias. Kiss (ganda insónia do costume, no 25 de abril)
Até po ano camaradas :)))

alice disse...

cara vida de vidro. que bonitos são os cravos que floriram nas suas palavras. gostei de ver e ler a casa abaixo ;) bonita partilha.

bom dia e um beijinho.

Alê Namastê disse...

São vermelhos de força
São cravos pela guerra.
Beijos*

Nilson Barcelli disse...

As tuas palavras são belas como os cravos.
Não deixemos fechar essas portas.
Beijos.

Rafael Velasquez disse...

Belíssimo dia este da história portuguesa! Que viva os cravos!

mac disse...

Vermelho de sangue derramado de alguém que morreu por 1 ideal, uma utopia chamada democracia...

Diafragma disse...

Fundamentalmente "da vontade de não as deixar fechar"

PintoRibeiro disse...

Sem tempo, a correr, passei para deixar um bjinho,

JPD disse...

OLá!

Completamente de acordo.

Bjs

Nomundodalua disse...

cravos vermelhos de tantos sentimentos, de tantas pensamentos.. de tanta poesia..

:D
x*