quarta-feira, abril 18, 2007

Poema de mim...




Ah, se soubesse fazer um poema
De métrica incerta
Sem rima, sem tema
Palavras sentidas, sabidas
Rentes à terra vermelha da alma
Poema cristal comigo espelhada
Um jorro de versos no dia real
Grito de vida em letras rasgadas
Ah, se soubesse
Gravar nas palavras aquilo que sinto
Dizer o que calo e, calando, minto
No verbo encarnar horas que vivi
Das mãos abertas faria brotar
Um poema único de mim para ti.


Foto by Marina Jerkovic

28 comentários:

Maria Clarinda disse...

..."Palavras sentidas, sabidas
Rentes à terra vermelha da alma
Poema cristal comigo espelhada
Um jorro de versos no dia real
Grito de vida em letras rasgadas..."
A parte que mais me marcou...lindo o poema, linda a música...e Tu.
Jhs.

herético disse...

fascinado ainda com os teus malmequeres, deixo-me inundar pela cintilação do teu "poema-cristal". sem rima e de métrica incerta.como são os sublimes gestos de entrega. em poema único!

adorei!

PintoRibeiro disse...

E tanto basta. Boa noite. Bjinho.

lena disse...

vida de vidro, um pouquinho afastada, entrei para te ler e deixar-te algo

quem melhor que tu para fazer os mais belos poemas, este poema já é único e tem a força das palavras que brotam das tuas mãos

nos versos sinto o grito das palavras rasgadas

belo!

queria muito que aceitasses o Prémio que te foi atribuído... É só ires buscar o selo, ao meu blog colocá-lo aqui e escolheres cinco blogues da tua preferência e atribuíres o prémio também...
deverá ser colocado também na parte lateral do teu Blog


abraço-te com muito carinho

beijinhos para ti e realmente ler-te é um enorme prazer

lena

A.S. disse...

Mas que importa a métrica e a rima quando há tanta força, emoção e beleza poética em cada palavra???

Um beijo!

Nomundodalua disse...

aihh q lindo...
:)

krak..as vezes sem intenção o poema/poesia revela tanto do autor neh??

eh tao interessante se vc for tentar interpretar aquilo..

gostei..:)

"Dizer o que calo e, calando, minto"

e aih eu lembrei d euma musica de lulu santos.."tudo que cala fala mais alto ao coração.."

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Desculpe a minha ausência, mas o que importa é, que estou de volta.
Ofereço-lhe este poema da minha autoria...

Sorriso


Não me lembro de ter nascido,
Não me lembro de ter vivido,
Não me lembro, jamais de alguma coisa
Se não somente, de ter sofrido!
Mas que importa isso agora?
Se sou feliz por ora.
Tenho amigos por todo lado
Os quais eu tanto amo
Os quais eu muito respeito
Sou feliz, por fazer sorrir alguém
Que sofre tanto ou mais do que eu.


Conceição Bernardino

Beijinhos e uma boa semana...
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Joaquim Amândio Santos disse...

"
posso não saber se existem contornos típicos de explicação racional num poema. nem quero.
a vida que o mesmo exala está liberta de definições!
"

naturalissima disse...

E aqui tens um poema muito bem feito único de ti para alguém especial...
Como sempre, simples, limpa no dizer dos sentimentos.
Daniela

ninaowls disse...

...mas sabes.
"Fanei-to" para postar um destes dias no meu multy, ok? Achei-o introspectivo suficiente, um murro no interior dos teus muros, derrubando falhas que te tornam mais partilha, no depois. Mim like it. Um bom dia pelas Lísbias. Kiss
Ah, conheces Ali Farka Touré? Talking Timbuktu, dá uma vontade de fugir rumo África. E se fechares os olhos, entras nesse mundo de trópicos imprevistos. Fui

hfm disse...

Belíssimo!

alice disse...

que belo sentimento estará na origem desta fonte? porque a água corre da boca da palavra anterior para a boca da palavra seguinte e faz um rio. gostei muito de ler.

um beijinho, vida de vidro.

M. disse...

Do mais bonito que já li. Comovente.

Cris disse...

absolutamente encantada, palavras bonitas e sentidas. Gostei do teu poema de ti.

Bjo
C.

maria josé quintela disse...

de ti, as palavras são já poema.
um beijinho.

maria josé quintela disse...

de ti, as palavras são já poema.
um beijinho.

maria josé quintela disse...

de ti, as palavras são já poema.
um beijinho.

Rui Luís Lima disse...

quando as palavras respiram nasce um poema:)
gostámos de ler o poema e da foto que o ilustra
um abraço cinéfilo
paula e rui lima

sOl disse...

CantinhO mágicO...
Palavras sentidas...
ApaixOnei-me aqui...
E aqui vOu vOltar...
ObrigadO...


sOl*

Luisa disse...

O prazer de fazer um verso, o prazer de ler um verso está na força das palavras que transmitem um sentimento, quer elas esteja bem alinhadas ou não, quer rimem ou não.

Opintas/Bernardo disse...

Boa noite e um abraço.

DDivinal disse...

tão cheio de tudo... tão cheio de força... tão belo... como é que me pude ausentar tanto tempo???

lindo mesmo

ju disse...

Eu acho que sabes fazer poemas. Este aqui é um bom exemplo.

tufa tau disse...

julgas tu que não sabes...

madrugada disse...

...e porque não um modesto desafio!?!...

madrugada disse...

...tenho medo de ser totalmente absorvido; ao ler as suas palavras.

Luis Mendes

Opintas/Bernardo disse...

Bom dia e desculpa lá isto:
Um abraço.

Opintas/Bernardo said...

Sónia e Vida de Vidro bem ao meu estilo acabei sem querer de perder um comentário. O comentário da Vida de Vidro, por acaso com bastante interesse.
As minhas desculpas às duas.

sotavento disse...

Não és tu que não sabes as palavras, elas é que ficam sempre aquém!... Olha, se queres saber, até as mãos abertas, às vezes não chegam!... :)