sexta-feira, janeiro 02, 2009

Virás?




Digo-te devagar que não quero respostas
Palavras-nascente de um rio de perguntas
Do qual rejeito conhecer a foz

Posso até murmurar que já não te sei
Tal a distância penosa a percorrer
Viagem interior a caminho de ti

Mas se te disser sem sobressalto
Que parto no barco parado no horizonte
Em busca de outra luz, outra lonjura
Virás alongar os teus olhos no porto
Onde a água se faz espuma no meu rasto?

26 comentários:

hfm disse...

Belíssimo! que bem o ano começou!

J.R. Lima disse...

Muito lindo, isto!

Um abraço e Feliz Ano Novo!

Paula Raposo disse...

Não sei. Se calhar não. Um belíssimo poema Alice! Como sempre eu a repetir-me. Inevitavelmente. Beijos.

Justine disse...

Empolgante, a tua tecitura de palavras e afectos!Belo.

Violeta disse...

Mas se te disser sem sobressalto
Que parto no barco parado no horizonte
Em busca de outra luz, outra lonjura
Virás alongar os teus olhos no porto
Onde a água se faz espuma no meu rasto?
Também pergunto o mesmo, será que virás?
um bj

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Alice, um belíssimo poema... Daqueles que toca o nosso coração... Um grande abraço Fernandinha

mena m. disse...

Um poema daqueles de apreciar como quem deixa derreter devagarinho um quadradinho de chocolate na boca...

Lindíssimos o poema e a foto num duo perfeito!

JPD disse...

Belíssimo poema.
Bjs

TCHI de Tchivinguiro disse...

...*...*...*...

Bonne Année!

Felice Anno Nuovo!

Feliz Ano Novo!

Feliz Año Nuevo!

Glückliches Neues Jahr!

Happy New Year!

Shubho Nabo Borsho!

...*...*...*...

*flor* disse...

procura-lo-ia no rasto da espuma até ao fim do horizonte...


beijinho*

Isabel José António disse...

Queridos Amigos,

Após uma longa ausência, estamos de regresso!
Venham visitar-nos às diferentes “salas” da nossa “casa virtual”:

http://flordojacaranda.blogspot.com/
http://diarioestetico.blogspot.com/
http://reflexoessentidas.blogspot.com/
http://newsletterfromlisbon.blogspot.com/
Isabel e José António desejam um Feliz Ano Novo e a Realização dos vossos melhores sonhos!

Vieira Calado disse...

Venho simplesmente desejar-lhe um bom ano de 2009.

Cumprimentos

Lmatta disse...

Linda foto
belo conjunto
e Bom Ano 2009

soggyscheme disse...

gostei, está bonito, uma sinfonia de palavras que se ouvem muito bem.

bom ano =)

as velas ardem ate ao fim disse...

Olhando para trás, aquele era o momento para lhe contar tudo. Porque quanto mais tempo se deixa passar sem dizer estas coisas, mais difícil será contá-las no fim.

um bjo

margarida já muito desfolhada disse...

respostas há mil para cada pergunta

a caminho de ti

barco parado no horizonte
lonjura
porto
água feita espuma

pront'habitar disse...

porque todas as viagens podem ser mentiras.

manzas disse...

“Reencarnação”

Foi em tempos… há muito tempo
Um tempo longínquo que já não sei…
Recordadas no momento de um pensamento
Pergaminhos da memória que furtei

http://pensamanzas.blogspot.com/

Uma boa semana com um abraço amigo…

Mar Arável disse...

Bom ano

apesar do tempo que faz

batista disse...

Amiga querida: certamente noutro momento poderei melhor apreciar a beleza dos teus versos, visitando um por um de todos os posts que inda não li.
Nesse momento, dentre outras formas de ação, é dirigir orações visando deter a barbárie contra palestinos.

Deixo um abraço fraterno.

innername disse...

espectacular...é um adeus, não te vás? Um contra-senso afectivo? Seja o que for, já sei que não te "chibas"...ficam-me as dúvidas a par com a beleza, não só da espuma, mas do convite ao luto...a foz, a nascente, um porto e um rio sem nome de mar?

heretico disse...

como vertigem. esses horizontes de lonjura...

belíssimo.

beijos

~pi disse...

a lo n ga tu


(tapete de flores

que alastra ~




beijo




~

Dana disse...

Belo, este poema de amor...com imagens poéticas muito felizes.
"Virás alongar os teus olhos..."

"I wish we were, my beloved, white birds on the foam of the sea..."

(Yeats)

***

ana dundes disse...

adorei!Lindas palavras-nascente desaguam nesse seu rio.

innername disse...

antigo :) vim, e só quando entrei e li todo o poema verifiquei a data. É teu e não é de hoje.
;)E mantenho o que disse: Nunca te "chibas"...