sábado, novembro 01, 2008

vento que perturba



há um vento que perturba
o remanso das árvores
um tremor do ar, uma inquietação
um sopro de pó que arrasta a palavra
a espalha e volteia em espirais de dança
um vento da terra, uma mutação.

25 comentários:

hfm disse...

uma mutação... mas a tua poesia continua una, clara, tua.

Rosangela Neri disse...

O vento forte me pertuba pois bagunça meu cabelo...rsrsrs
Adorei profundamente, aliás sua poesia é maravilhosa! bjs

cõllybry disse...

O vento que perturba, nos lembra de cuidar da Natureza, sempre intensa poesia...

Beijitos

Justine disse...

Eu acho que as árvores gostam desse diálogo com o vento, como eu gostei do teu voltear com as palavras:))

pront'habitar disse...

e um vento, suave, de carícia?

Luisa disse...

É o vento a preparar-nos para o inverno.
Obrigada pelos parabéns deixados no nosso blog.

Mar Profundo disse...

Olá, venho dar a conhecer o meu novo blog, apos alguns dias para ficar tudo bem decidi começar com ele hoje, espero que goste de o visitar e que faça parte dos seus favoritos... com o tempos darei a conhecer o que gosto de fazer - Escrever..

Beijos e boa visita.

http://marprofundo.mine.nu

Menina do Rio disse...

Lendo-te consegue-se até criar um imagem das palavras!

Um beijinho

Grilinha disse...

o vento faz falta para polinizar o planeta, afastar as pestes, abanar os cabelos, etc etc :9

Bom Fim de Semana

Vieira Calado disse...

Trata-se dum esbelto poema curto que apreciei.

Bom Domingo

Véu de Maya disse...

O invisível que o poema tráz á claridade através de uma meia-obscuridade: par lírico nasce na natureza por berço e ao qual dás uma intensidade muito lírica e suave... prazer e fruição quando te leio...

abraços

mundo azul disse...

...bonito!!! Versos curtos e reflexivos... Gostei!

Beijos de luz e muita alegria no seu coração!

Violeta disse...

"há um vento que perturba"
sinto esse vento em cada instante...

O Puma disse...

No ar já não são rosas

voam espinhos

bettips disse...

Todo este tempo indeciso perturba.
Um beijo.
Transparente como palavras de vidro.

JP disse...

Há um tudo nada que faz a diferença, que nos parece intocável, que isola e abraça em redopios líquidos de água, pura e límpida como se não existisse, mas que está lá. Sentimento meu, que não sou eu...
Mudo, e aprendo!

Arménia Baptista disse...

...perturba, mas não mata...nem corta, ao contrário do q lhe faz o Homem. Parabéns.

Paula Raposo disse...

Pois há. Um belo poema. Gosto muito mesmo. Beijos.

melgadoporto disse...

Mutação!
Rima de todo o direito, com sedução.
Que bom seria termos esse poder…
:-)

Lmatta disse...

belo poema e uma lida foto
beijos

heretico disse...

mutação. que suspende tempo...

muito belo.

beijos

paperlife disse...

Mutação-Outono.

E as palavrsa para quem não sabe não escrever, colam-se a querer ser vida nova na primavera de Re-Nascer.

Bj Amigo.

Oliver Pickwick disse...

De igual modo os pregoeiros, às vezes o vento também é portador de más notícias.
Um beijo!

Mar Arável disse...

É preciso saber uivar

o vento

é o que faço no meu mar

Ad astra disse...

remoinhos de lindas palavras
em constante movimento

a foto ja sabes...*****