sexta-feira, novembro 07, 2008

Por vezes falo de nuvens



Nem só pedras
Nem só terra agreste
Nem só águas em sobressalto

Por vezes uma nuvem branca em céu claro
Sol velado por novelos de sonho
O caminho feito em redor do poço
Na espera do jorrar da água
E o lançar da alma na espuma do mar
Cobiçando o azul intangível

35 comentários:

Maria Dias disse...

Nuvens são como sonhos...Sonhos bons e gostosos de se tocar.

Beijinho

Maria

Paradoxos disse...

é por essa e por outras que adoro a poesia - a verdadeira poesia - ei-la - aqui!!


beijos

VFS disse...

é nos rendilhados do divino
que se purifica o humano.

Lindo sonho!

hfm disse...

da beleza da espuma dos dias.

melgadoporto disse...

Nem só pedras…
Pois!
:-)

ลndreia disse...

'Sol velado por novelos de sonho'
LINDO!*

Rosangela Neri disse...

Sou sua fã... não perco uma postagem!
Bjs e bom fds para vc tb!

TMara disse...

e por vezes o azul k nos parece inatingível somos nós vogando nas nuvens...
Bjs
Luz e paz

João Norte disse...

Por vezes uma núvem branca que não será suficiente para poldar os sentimentos.

Rocha de Sousa disse...

É a primeira vez que faço uma visi-
ta a este espaço e fiquei tocado pela limpeza, pela sensibilidade dos versos,«falando com as nuvens»,
poesia que elenca as nossas derivas
mais tocantes.
Belíssima a fotografia e justa a
relação imagem/palavra.
Saudações amigas
Rocha de Sousa

Lmatta disse...

bom poema
bela foto
beijos

Ego. disse...

Nuvens feitas de algodão...
Doce!!!

Lindo!
Bjus e até!

Marco Rebelo disse...

bom poema :)

pront'habitar disse...

do poço e do mar.

a água...

qual a diferença?

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

Detalhes da vida que não vemos...
Lindo.

Bom fim de semana

Licínia Quitério disse...

Essa nuvem que nos devolve o céu...

Beijinho.

Rui Caetano disse...

Lindo. Gostei muito.

Vieira Calado disse...

Por vezes fala de nuvens... e bem.
E também do azul... infatigável...

Bom fim de semana.
Beijoca.

rosasiventos disse...

(...)

tenho nas mãos este amor ridículo


amor de filme esta


terra antiga de longa solidão (...)



BEIJO

dona tela disse...

Convido para fazer uma experiência lá no meu sítio. Olhe que é muito giro!
Respeitosos cumprimentos.

Cackau Loureiro disse...

E é esse azul que faz o nosso mundo...

=)

Violeta disse...

Gosto de nuvens e gostei muito do poema.

Menina do Rio disse...

Descreves uma cena deslumbrante e a imagem acrescenta! Está divino!

Um beijinho

Véu de Maya disse...

Um estado de alma bem poético contemplativo da beleza natural das coisas que te comove com grande intensidade lírica...a leveza dos teus versos e os pormenores dos seres nas suas relações bem subtis... a imagem tb é fantástica...

abraço

Justine disse...

Nem só pedras, nem só sonhos...é esse o segredo do equilíbrio na vida

JPD disse...

Um compromisso cromático excelentemente desenhado.
Muito bem.
Bjs

cõllybry disse...

Os sonhos fazem parte da vida,tudo tem o seu momento...

Beijitos ternos

heretico disse...

nem so pedras/nem só terra...
também o azul infinito em tua alma mergulha

muito belo.

beijos

tulipa disse...

Que o silêncio me embale,
nesta noite
em que falta
o abraço quente de um amigo...


Estou de molho, febre, dores no corpo, arrepios de frio...
huuummmm, adivinho o que vem por aí.

Hoje o meu post tem a ver com um mail que recebi e, ao fim de vários meses com a minha auto-estima abaixo de zero...adorei ler o que Paulo Coelho escreve.

BOA SEMANA.
Beijinhos.

Paula Raposo disse...

As nuvens e o sonho quase se tocam...Gostei. Beijos.

Ad astra disse...

e que bem falas...
que as palavras, por vezes têm cor


beijo

Maria Clarinda disse...

Como são lindas as nuvens, algodão doce...
Adorei o teu poema, a foto(pria de oeiras?)
Jhs mil

innername disse...

as nuvens que escondem o azul ou o deixam antever devem de ser as mesmas que despencam tempestades e causam diluvios, o que difere é a perspectiva do tempo

batista disse...

"nem só..."
disso ou daquilo, certamente, mas... se tem uma coisa que não falta em tudo que escreves é um profundo carinho e respeito pela humanidade. é o que percebo.

deixo um abraço fraterno.

Oliver Pickwick disse...

O equilíbrio da vida é tão certo como as ações que descreveu em seu poema. Aliás, uma marca dos seus versos, às vezes, de uma melancolia sob controle, mas, em harmonia sempre. ;)
Um beijo!