domingo, novembro 23, 2008

As tuas mãos



by Xavier Baglin

E sempre as tuas mãos. Sacrário de silêncio onde celebrava o misticismo do amor. Unguento sobre a pele. Pelo toque me davas o pão do teu corpo. A água que o sincelo da minha alma gerava, matava-me a sede. Naquele eremitério feito de horas isoladas procurávamos a infinitude improvável. Precisávamos urdir uma rede fina, preciosidade de protecção contra a auto comiseração e a aleivosia dos outros. Talvez a malha fosse larga demais. Por ela fugiu tudo o que ritualizava o amor e, por fim, até as tuas mãos.


[Este é um dos textos que escrevi para o 8º Jogo das 12 palavras. Publico-o aqui, hoje, também como uma forma de celebrar o lançamento, no sábado, do Livro "22 Olhares sobre 12 palavras". Podem ver a reportagem aqui, aqui e aqui (obrigada, Nina.)]

33 comentários:

cõllybry disse...

Gostei muito deste jogo, onde as mãos re realçam...

Beijitos

VIDA disse...

Amei, adorei, magnífico!
Vc escreve muito bem, admiro.
Um carinho...bjs

innername disse...

Alice, gosto honestamente dos teus textos presentes no livro.
Ainda bem que me convidaste. Foi uma excelente compra. Tirei fotos e estão no meu blog, no link das fotos com o nome 22 olhares sobre 12 palavras. Andei ás aranhas com alguns nomes e nicknames mas creio não ter lá erros.
Beijo e continua a escrever.

Mateso disse...

As mãos... elos condutores de palavras que brotam do sentir.
Belo texto.
Bj.

Anónimo disse...

Imensa pena de não ter ido, tanto mais que tinha decidido ir..claro que compro o livro, mas perco a visão da emoção aquando autógrafos..

abraço

intruso

hfm disse...

Uma escolha despojada e forte onde a beleza rima com sabedoria.

Paula Raposo disse...

Um texto excelente, como todos os que escreveste nos outros jogos e no livro!! Gosto imenso. Muitos beijos.

~pi disse...

como água para chocolate

( derre tido




~

Fa menor disse...

As mãos têm um grande poder... para o bem e para o mal.

Gostei muito de te conhecer :)

Um grande beijinho

maltes disse...

Um texto muito bonito, muito delicado.

as velas ardem ate ao fim disse...

Opá fizeste me chorar...

um bjo

Justine disse...

Muito elegante e poético o teu texto, e a foto é linda e uma excelente ilustração das tuas palavras.Parabéns:))

Bárbara disse...

as mãos.um celebrar de misticismo de amor. a pele.o toque . as horas isoladas procurando a infinitude o improvável. as maos entranhadas nos sonhos.por entre a polpa da quimera. do veludo das horas. da espuma dos momentos. as maos aguarrando sofrimentos. lascando sensaçoes. as maos.as tuas maos. os dedos.as unhas. como brilhavam as unhas cravadas na alma. na vida.nas veias da estrada. o teu corpo nu.

JPD disse...

Belo texto sobre a "orografia" do corpo, das emoções.
Bjs

heretico disse...

BELISSIMO...

enorme a magia das mãos...

beijo

Oliver Pickwick disse...

É um acróstico salteado. Admiro a sua habilidade e paciência em escrever um texto tão integrado às doze palavras.
Jamais teria esta disposição, a impaciência não me permitiria. ;)
Um beijo!

São disse...

Gostei e desejo sucesso.
Neste Dia contra a Violência de Género, desejo paz interior e com a vida.
Tudo de bom.

M. disse...

Acho este teu texto belíssimo. E aquelas mãos! Que fotografia!

Secreta disse...

Como sempre , magnifico jogo de palavras :)
Beijito.

Nilson Barcelli disse...

Fizeste um magnífico texto com as 12 palavras.
Parabéns.
Beijinhos.

Círculo Literário disse...

gOSTAMOS MUITO DAQUI!!!ÓTIMA POSTAGEM!!!!
OBRIGADA PELA VISITA!!

Violeta disse...

Magnífico.

bettips disse...

Aqui te deixo o gosto bom de te ter (finalmente) (re)conhecido.
Rosa-sorriso.
Como as palavras, as imagens, fluentes e vítreas.
Bjinho

Felinea disse...

e pelas mãos, o sentido de tudo :)

adorei!

beijos carinhosos.

VFS disse...

são as [tuas] mãos que mais sentem a harmonia das obras do Criador.

Obrigado
Vicente

dona tela disse...

Venha conhecer os meus tios.

Muito obrigada pela atenção.

mena m. disse...

São as mãos que mais me atraiem quando observo alguém pela primeira vez!

Belíssimo texto!
És um malabarista de palavras!

Um beijinho

Lmatta disse...

Lindo texto
beijos

Ad astra disse...

porque a infinitude é sempre improvàvel?!

e esta frase está a dar-me que pensar

Véu de Maya disse...

As mãos de certo modo tb ão espelho alma...parabéns pelo livro... amei o texto...muito bem escrito...uma leveza bem especial.

:)

Véu de Maya disse...

errata: as mãos tb são de crto modo o espelho da alma...

TMara disse...

belo.
Bom f.s.
Bjs
Luz e paz contigo

OrCa disse...

Vidro sempre de primeira água. Algo assim que me faz lembrar as melhores tradições da Marinha Grande... ;-)