sábado, novembro 15, 2008

ténue


sinto-me ténue
miragem indiferente
nuvem de vapor criada
pelo toque do sol quente
na pele do asfalto molhada

29 comentários:

~pi disse...

assim assim

quase

nada :)




beijo

hfm disse...

sempre em crescendo a melodia. belíssimo.

SMA disse...

E regas a terra
em que te recebo
.
.
.
bjo de cristal

Nilson Barcelli disse...

sinto-me ténue miragem
indiferente nuvem de vapor
criada pelo toque do sol
quente na pele do asfalto
molhada

E se o poema fosse assim?
A falta de pontuação torna os poemas mais ricos.
Gostei do teu poema.
Beijinhos.

Mateso disse...

A subtileza da imagem em palavras belas.
Bj.

Lmatta disse...

Gostei do poema e da foto
beijos

João JR disse...

há quanto tempo q n tenho tempo de visitar-vos..
só trabalho!!!
e é tanta coisa, mesmo muita ao mm tempo.
E hoje tive q me obrigar a abrir a pestana e dar um alô por aqui, é bom ter amigos, mts amigos, e ter saudades e vir a correr nem q seja só para deixar um gd beijinho!

Paula Raposo disse...

Bonitas as palavras e a foto escolhida!! Gostei imenso. Beijos.

Oliver Pickwick disse...

Poema e fotografia: feitos um para o outro. ;)
Um beijo!

Felinea disse...

estás leve! :)

adorei!

um beijo.

heretico disse...

leve. como uma carícia de seda...

beijos

borrowingme disse...

muito intenso...
boa semana
bjs

Véu de Maya disse...

sibilino mas suave e tb errante...

abraços

Uma estrela errante disse...

Olá,

Encantas com o teu canto.

Beijinhos

Isa

melgadoporto disse...

Miragem!
Nela vagueio.
Na esperança de estar enganado.
Mas cada vez é mais ténue.
E assim me sinto, vagueando!
:-)

Justine disse...

Que conjunto harmónico, a foto e a poesia, ou vice-versa!
Um toque apenas, e nasce a beleza!

margarida já muito desfolhada disse...

mas tudo é vida...






lindo, palavras e imagem

Ad astra disse...

leveza...
assim mesmo!

rosasiventos disse...

rosa-quase-romã-self-muro-cova-de-cova-h ábito-dro ga-agulha estilete pinça-agudição,

Mar Arável disse...

É preciso resistir

Maria Dias disse...

Você conseguiu passar a delicadeza deste momento na imagem e nas palavras.Tive vontade de levitar como uma bola de sabão!

Beijos

Maria

Pierrot disse...

Engraçado...
Hoje estava capaz de dizer que me sentia assim, como que ténue!
Bjos daqui
Pierrot

Fa menor disse...

Há alturas assim... em que apenas o sol nos toca ao de leve... quando nos sentimos miragem.

Beijinhos

Nelson Alexandre Soares disse...

Lindíssimo.


É o retrato de um exemplo daquilo que faz o belo, o admirável, o artístico: o pormenor... ténue. =)


Adorei. É até fluxo de uma sensação de frescura e liberdade.



Stay Well

Violeta disse...

Em qualquer momento da vida, todos nos sentimos assim um dia. Eu tb me sinto ténue, muito ténue...
bjs

triliti star disse...

gostei da fotografia.


o poema, bem, o poema é um poema simples, simplemente lindo.

dona tela disse...

Desculpe a ausência, mas ando cá com um stress...

Amistosas saudações.

Stella Nijinsky disse...

Olá VV,

Muito delicado,
e ritmado.
Muito bonito.

Beijo

Stella

M. disse...

Muito belo este conjunto.