sábado, agosto 25, 2007

Como uma ilha...




Banhas-me assim
Em ondas de amor morno
Passadas que são as marés vivas
E as tempestades da paixão
Um dia dirás de mim ter sido ilha
Fechada entre as brumas e o mar
Guardando segredos quietos
Caladas crateras de alma
Que só conseguiste espreitar
Porque as ilhas vivem dentro delas
E ao mar entregam toda a solidão
Banham-se nas ondas de amor terno
Morno
Na praia esperam a volta da maré.


Foto: S. Miguel, Açores, miradouro de Sta Iria

27 comentários:

Entre linhas disse...

Tempestades de paixão que se esvanecem nas ondas esbatidas de um mar que não sossega.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Nilson Barcelli disse...

"Em ondas de amor morno
Passadas que são as marés vivas
E as tempestades da paixão"
Lindo, soberbo.
Como escreves bem cara amiga.
Bfds, beijinhos.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Bom dia!!! Cheguei, carai.
Abraço.

maria josé quintela disse...

somos ilhas, circundadas de sombra e luz. inevitavelmente.

Moinante disse...

Lentamente regresso , confesso quem senti alguma saudade deste grande universo de amizade virtual .
Após uma breve leitura , parto , deixando votos de um bom fim de semana .
Até breve

Nomundodalua disse...

eu goestei dessa analogia com as ilhas..
as vezes, somos ilhas em outros momentos verdadeiros continentes..

:)
o bom é poder ser um e "outros" vez e outra..:)
bom fds!

namastê!
x*

M. disse...

Lindíssimo!

Frioleiras disse...

Açores...

A beleza infinda, infinita !...

como as palavras,
quando
belas ...

AMMedeiros disse...

Inspirado.

Inspira a entrega das almas solitárias que nunca estão só pelo tanto que têm em dádivas de ser...

Um beijo

multiolhares disse...

por vezes somos uma ilha cheia de escarpas mas temos de deixar a agua do amar as limar
bj

A Lei da Rolha disse...

A maneira como tens descrito os Açores leva-me a acreditar que adoravas viver là, não é?
bjs

C Valente disse...

Açores ando a adiar uma visita, não resisto tenho por ai passar
saudações amigas

Thiago Forrest Gump disse...

Belíssimo!
Enche os olhos! :)

Mateso disse...

"...Um dia dirás de mim ter sido ilha ...
Porque as ilhas vivem dentro delas...

Banham-se nas ondas de amor terno..."
Depois dos vigores a calmia qual mar gorjeando as areias do sentir.
É doce a o teu sentir e tão real.
Bj.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Bonito, é.
Um abraço.

Milla Loureiro disse...

Adoro maré alta!!!


amei o texto...Bjs

Naeno disse...

Quem condus os homens, essa coisa, muitas vezes chamada de impulsos involuntários, objetivo, vontade de vencer, guerrear, arriscar-se, arrebatar-se, como fazem as ondas tempestivas. O mesmo que fazem as árvores trocarem suas folhs por flores puras e lindas, que fazem os olhos fixarem-se diante da beleza impressa na natureza. O mesmo que é capaz de fazer o mundo ruir, muralhas irem abaixo, corpos caírem indefesos e sôfregos, é o AMAOR. Por ele morremos e matamos, sofremos e gozamos das cicatrizes fechadas, que nos permitimos sermos sondados em nossas mais profundas entranhas e que também penetramos como faca afiada. O amor é capaz de mais coisas, das coisas invisíveis que nos tornam protagonistas de um templo de visionários.

Um beijo
Naeno

mac disse...

Ilhas rodeadas pelo mar, ilhas rodeadas pelas ondas do amor.
A maré envolve com as suas doces ondas as falésias dessa ilha.

Carracinha linda! disse...

Não teremos todos nós um pouco de "ilha" em nós? Não seremos todos um pouco assim?


Beijinho e boa semana!

tufa tau disse...

o amor virá na volta da maré?

un dress disse...

também de ilhas. vivemos...






:) beijO

Hands of Time disse...

Uma ilha, é sempre inspiradora!!

Baudolino disse...

Muito bonito mesmo
Um abraço

pin gente disse...

muito apelativo este banho de amor.

carteiro disse...

que cores e palavras tão fantásticas e tão cheias de vida.
... e a maré voltará, certamente.
boa semana.

Obscuridade Translúcida disse...

Adorei o poema,uma escrita inteligente...

Maria Clarinda disse...

Vida de vidro...poemas e fotos cada vez mais lindos!!!!
Adorei e perdi-me!
Jinhos mil