sábado, maio 05, 2007

Voltara a Paris




Pensava na vida, enquanto ia olhando as publicações que os bouquinistes expunham. Gostava do passeio mas perguntava-se o que levava aquela multidão de países vários às margens do Sena. Tudo aquilo lhe era familiar desde criança. Falhava-lhe o entendimento da magia que os estrangeiros encontravam naquele estendal de livros antigos, posters, postais. De câmaras em punho, fotografavam, filmavam… Encolheu os ombros. Mais valia ignorar aquele burburinho.
Voltara a Paris. E pensava na vida, claro. Na mulher e no filho que tinham ficado na terra onde trabalhara. Na inesperada “deslocação” da empresa que o deixara sem grande margem para os sustentar. Parece que era uma tendência em toda a Europa. Que lhe interessava isso? Nunca ligara muito à política, menos ainda às tendências da economia.
Voltara a Paris. Tinha um quarto nos subúrbios e todos os dias vinha procurar uma oportunidade de trabalho. Nada tinha aparecido e começava a desesperar. Olhava os que dormiam na rua, nas estações de comboios. E tinha um arrepio. Para arejar a cabeça, dava longos passeios nas margens do Sena. Olhava toda aquela gente, animada, feliz. Porque viriam até ali? Nunca tinha tido a ambição de viajar. A mulher, sim, queria ir de férias para outras paragens. Agora, ia ser complicado.
Voltara a Paris. Estava tão absorvido nos seus pensamentos que nem ouviu o barulho do disparo da câmara. Mas ainda viu que mais uma turista estava a fotografar e parecia apontar na sua direcção. Afastou-se, farto de tudo aquilo. Era só o que faltava, ficar nas fotos de uma fulana qualquer. Vida do diabo!

27 comentários:

M. disse...

Adorei e fez-me saudades.

Opintas/Bernardo disse...

( Tenho lá um tema em que gostava da sua opinião ).
Boa tarde.
Um abraço.
Prefiro, naturalmente, Berlin.
Mas está lindíssimo.

madrugada* disse...

Paris, paris!...

As palavras vão de encontro ao texto para o emoldurar.

Muito lindo.

Sandrine disse...

So perfect *

sonhadora disse...

Um domingo de sonho. Beijinhos embrulhados em abraços

Kristal disse...

Morei em Paris, fui feliz, infeliz e nunca mais voltei lá.

brisa de palavras disse...

Nunca fui a Paris...mas há outros lugares onde gostava de voltar e ficaria certamente observida por os pensamentos...
um abraço
brisa de palavras

diabinho disse...

Que belo poema....
Já vi que andaste a azucrinar a cabeça ao rapaz que pensava na vida, tirando-lhe fotos... ;-P

Beijinhos

João JR disse...

Paris...onde tenho que ir em breve com a minha estrelinha!!!
Um beijo grande Vida e bom domingo:)

PintoRibeiro disse...

A imagem vale por tudo.
Boa semana, bjinho.

un dress disse...

e como é viver dentro do

vidrO?

ou deverei perguntar a mim

mesMa...?



gostei muito*

mnemosyne disse...

Gostei da imagem...gostei das palavras que me transportaram de novo até à Cidade Luz :)
Um beijo

Zeca Paleca disse...

PARIS JE T´AIME !
C´EST LA ROSE L´IMPORTANT

UMA MULHER ARRISCA TUDO QUANDO AMA OU ODEIA!


Vem ao meu blogue que é o

http://lusoprosecontras.blogspot.com

è aqui a minha alegre casinha partilhada com outros amigos e amigas:

LUSO: OS PRÓS E OS CONTRAS


Precisamos da tua ajuda para as núpcias do EMPLASTRO com a MOURA AO LUAR

Esperamos por ti.

BEIJINHOS

Fuser disse...

Vida

amanhã trarei Paris até voce.

beijos

fuser

Zé Gomes disse...

Não precisa de ir a Paris...

Boa prosa...

naturalissima disse...

Quantas vidas assim existem pelo mundo fora?
Breve, mas belo...
Daniela

Carracinha linda! disse...

Vim deixar um grande beijo e desejar uma boa semana!

borrowingme disse...

nunca fui a paris...

boa semana e bjs

herético disse...

um "europeu" em Paris. pré "decartável".sente-se tal "arrepio"! excelente texto.

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Olá :)
Passei para ler as novidades deixar um jinho e votos de boa semana :)
Kiss

Unicus disse...

"Paris é uma festa" do eterno Hemingway.
Beijinho, VV

Rui Luís Lima disse...

olá vida de vidro!
adorámos o texto/conto porque nele sentimos Paris sobre o nosso olhar, estávamos numa das pontes sobre o Sena, a comprar aquelas fotos da construção da Torre Eiffel e penso que vimos o teu personagem...mas não eramos nós os turistas.
A tua escrita fez-nos recordar um dos filmes da nossa vida "A Lenda do Santo Bebedor".
beijinhos
paula e rui lima

as velas ardem ate ao fim disse...

Suadaes de Paris, simplesmente.

bjos

D. Maria e o Coelhinho disse...

Paris ... la vie q passe !

JPD disse...

Olá!

O que não deixa de ser extraordinário é que a beleza do Tejo seja tão especial e, no entanto, há uma teimosia em erguer barreiras para o ocultar sem explicação: vejam o edifício que está a ser erguido ali junto ao Cais do Sodré.

Bjs

Paulo Mello disse...

"Esta é uma cidade para ser feliz. Para amar cada minuto de cada hora. Para abraçar a luz inigualável."

Atualizando a leitura deparei-me com um post teu que fala de Paris. Roubei este texto para falar de minha paixão por essa cidade-luz. Pretendo voltar, mas agora ao lado da mulher dos meus sonhos.

Estou de volta das férias, com saudade dos amigos. Tem postagem recente lá p'ro meu lado.

Um abraço afetuoso e uma excelente semana para ti.

ninaowls disse...

vida do diabo, mesmo. A fulana eras tu, claro. :))) podia ter sido pior para ele. Aparece na foto de um blog de vidro. Há sortes do diabo, Alice. Quando me pões no teu blog a mim? eu que de magias do sena percebo muito pouco mas percebo de outras magias, podes apostar. ;)