domingo, fevereiro 18, 2007

Peso




Não sei se caminhava ou se arrastava os pés como se todo o corpo fosse apenas um peso inútil. Passo a passo, numa lentidão que lhe tornava os dias intermináveis. As lembranças eram longínquas e esbatidas. Via-se apenas adolescente, já olhando as raparigas que saíam da Igreja. Ou talvez menino, correndo naquela calçada, fugindo da mãe. Sentia que a sua caminhada já não era para o futuro. Toda a sua vivência se dirigia agora ao passado. De alguma forma que nunca esperara, caminhava, lentamente, em direcção à infância, cada vez mais perto. Na sua impaciência, ansiava por se aninhar finalmente no doce calor do ventre da mãe.




(Esta semana, no Palavra puxa palavra, o tema foi "Peso")

30 comentários:

alice disse...

foi a menina marota quem me disse que este lugar era especial. tenho de lhe agradecer. adorei ler. um grande beijinho.

Anónimo disse...

Natural.. a perda de reflexos.. nunca como Ele a perda de vontade, determinação (e, não venham com a necessidade de..).. um pormonor, o braço que sustém as "compras", mais afastado (defendê-las dum provável toque involuntário)..é a sua preocupação do momento..
Bonito quadro

um abraço
intruso

Menina_marota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina_marota disse...

E tem razão o que diz a Alice, ali em cima... este lugar é mesmo especial, de uma pessoa mais especial ainda...

Palavras sentidas, de realidades pressentidas...


Um abraço carinhoso e bom domingo ;)

Jôka P. disse...

Você escreve com muita sensibilidade e talento !

maria josé quintela disse...

peso da memória... da experiência retida no baú do tempo.
um peso leve.

beijo.

pitanga disse...

Quem tem em casa pessoas de uma certa idade sabe bem do que falas. É triste mas verdadeiro.

beijos doces

naturalissima disse...

O peso do tempo, da idade, da própria natureza do homem...

Deixo-te um beijinho e continuação de um bom fim de semana

poca disse...

chegaremos lá?
engraçado como ansiamos tanto pelo futuro.. mas é no passado que acabamos sempre por nos rever... somos o que vivemos... o que sentimos, o que escolhemos ser a cada momento..

gostei da tua maneira de escrever sobre... peso.
beijinhos

M. disse...

É muito aborrecido envelhecer, mas perante a alternativa... :-)
Mas agora mais a sério, a fotografia é belíssima, num perfeito dueto com a sensibilidade deste teu texto, transparente e delicado como um cristal Swarovski...

as velas ardem ate ao fim disse...

O nosso peso..da memoria, do corpo..da vida.

Hoje por acaso sinto me leve.

Gostei muito.

bjinhos

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

o peso do tempo, na leveza das memórias...

♡  ♥Beijos    ♡    ♥Beijos      ♡       ♥Beijos

♥Beijos    ♡      ♥Beijos       ♡   ♥Beijos ♡   


         ♡    ♥Beijos   ♡      ♥Beijos    ♡         

Maria Clarinda disse...

..."Na sua impaciência, ansiava por se aninhar finalmente no doce calor do ventre da mãe."

Maravilha...passear no teu blog continuam a ser osmeus momentos predilectos.
Jhs.

Cris disse...

É triste e bonito ao mesmo tempo, mas a realidade é assim mesmo, quando a velhice já nos engole e nos sufoca, não deixando espaço nem forças para caminhar, é o desejo premente de voltar a ser bébé, escondido do mundo, no ventre da mãe, protegido ainda pela inocência da realidade

Beijinho
Cris

Pedra daLua disse...

Olá!
A vida é uma caminhada, caminhada na qual muitos páram por imposição do peso e caminhada que outros não se deixam parar pelo mesmo peso, nem que seja em pensamentos, eles continuam a andar, seja para tras ou seja para a frente, chama-se a isso força e vontade, quiça força de vontade...
Deixo um beijinho.

Bia disse...

Sabes se há coisa que me doi é ver pessoas de idade "derrotadas" e "arrastadas" pelos sacos...
Eu tenho a imagem maravilhosa de alguém que na altura com 88 anos ainda tinha muito para viver e nunca se deu ao desespero da velhice, lutou, caminhou, exercitou o corpo e a mente até ao seu último Adeus, talvez por isso me choque tanto o desistir...

herético disse...

... e, assim, se cumpre o ciclo!

nas "águas matriciais" do ventre se gera o milagre da vida. e se inicia a pulsão da morte... como regresso "às águas profundas"! do nada. ou do todo.

excelente.

herético disse...

esclareço: "ventre materno". sorry

Unicus disse...

Vou repetir o que já aqui disseram: este é um lugar muito especial.
Beijo

Betty Branco Martins disse...

Vim conhecer este "espaço" tão especial__________e de facto é e muito!

Voltarei com toda a certeza:)

Beijinhos

M.P. disse...

Na Vida há sempre um começar e um acabar para voltar a ser! O Ventre da Mãe é o no meu entender o retorno ao Universo infinito de que somos moléculas (in)finitas. Beijinhos

jawaa disse...

Todos caminhamos para lá... e de frente!
Bonita fotografia.

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

____8888888888888888888888
_____88888888888888888888
_______8888888888888888
_________888888888888
______________**
____####______**______####
___#######____**____#######
____#######___**___#######
_____######__**__######
________#####_**_#####
__________####**####
___________###**###
____________##**##
_____________#**#___________
Deixo uma flor, um sorriso e um beijo

PR disse...

Seco, curto, com força. Gostei, gostei mesmo. Boa noite, bjinho.

JPD disse...

A insustentável leveza do...peso!
Bjs

bettips disse...

Falei lá mas não resisti aqui, ao poema de vida que fizeste, com a foto e as palavras. Bjinho

Presença disse...

Este texto fez-me lembrar uma canção dos Enigma "Return to innocence"...

O nosso movimento é sempre sair para voltar...

Bjo de cristal

diabinho disse...

A velhice é uma segunda infância, por isso talvez o peso da vida, puxe as pessoas de volta ao "ventre da mãe"...

Carracinha linda! disse...

A idade tem destas coisas.

Quanto mais anos vamos vivendo, mais anos temos para recordar. E quem deseja voltar un anos atrás? Não para mudar nada, mas para poder viver novamente esses anos. Com o passar dos anos olhamos para o que já passou...e ainda bem que as recordações ficam...

Estrela do mar disse...

...que triste realidade:(...


Muito bonito o que li, e cheio de sentimento.


Cont. de boa semana.


Jinhossssssss