quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Janela com uma vista (em jeito de Haiku)





A tinta parda dos prédios
Escorre insuspeita sujidade
No verde vivo da paisagem


___________________



A árvore recorta o céu
Em curtos pedaços de azul
No meio das folhas separadas


___________________


Nuvens brancas sem forma
Passando ao sabor do vento
Espreitam pela janela



"Cada haiku capta um momento de experiência, um instante em que o simples subitamente revela a sua natureza interior e nos faz olhar de novo o observado, a natureza humana, a vida."

Mundo-Haiku

24 comentários:

PR disse...

Uma perdição, minha. Os haikus. Boa noite, abraço.

achama disse...

Belíssima vista. Parabéns pelo texto e fotografia.
Boa noite e um bjinho.

maria josé quintela disse...

As tuas palavras têm a transparência da janela. E a sensibilidade dos teus olhos.

as velas ardem ate ao fim disse...

Adoro nuvens e imaginar os desenhos que posso fazer com elas.

Mas esta musica...é linda.adoro a Maria João.

bjos enormes

Diana disse...

pq as imagens são o que mais dizem em tão pouco (excepto talvez o silêncio...)

sotavento disse...

Espreitar é feio!... :)))

Paulo Mello disse...

Você soube com extrema delicadeza expressar-se de forma inigualavelmente bela dentro dessa poética japonesa tão consagrada. Parabéns pela beleza dos versos e a escolha da imagem.

Deixo um abraço afetuoso e os votos de um excelente final de semana.

Presença disse...

Mas será sempre uma visão diferente da anterior...

Afinal quando se apreende o todo?


Bjs de cristal

Cris disse...

a fotografia inspira uma tranquilidade imensa.

Bom Fim de Semana!!!

Beijinho

Cris

marta disse...

Lindíssimo o teu olhar por dentro das coisas.

M. disse...

Gosto muito de haikus. A contenção das palavras fá-las viver por si próprias. Tu não fugiste à regra.

innername disse...

adoro janelas, revelam intimidades e rituais, denunciam a alma das pessoas...esta é tua?
Beijo Alice e bom fim de semana.

Licínia Quitério disse...

Muita transparência. Muita fragilidade. Um post de vidro. Pegar com cuidado.

Beijo.

sonia r. disse...

Beijinho e um bom fim de semana.

mac disse...

Uma janela transparente para melhor vermos o mundo.

melgadoporto disse...

Haiku...
Assim não vale! Por isso aqui fica:
»»Uma porta aberta para o Mundo
Podemos sempre entrar
Ou nem chegarmos a entrar««
:)

maria disse...

Vida de Vidro,

Que deliciosa esta tua incursão pelo Universo Haiku, a partir de impressões causadas por uma fotografia.

Um grande beijo.

Pedro Branco disse...

E se um dia, quem sabe ao esfregar a lâmpada, saísse um mago que nos perguntasse "Tenho uma janela para ti. De que lado queres estar?"?

Talvez dentro, na tranquilidade de uma paisagem, no calor de um lar...

Talvez fora, na contemplação do interior, na cal da parede, na cor dos cortinados, na verde da madeira...

Fogo! Ainda bem que não há lâmpadas para esfregar!

Beijo.

osangue disse...

Boa noite, um abraço.

A Lei da Rolha disse...

Excelente descrição da tua paisagem, suspeito que seja o sítio onde habitas?
bfs

Bia disse...

Ninguém como tu para ver tão bem através de uma janela... ou não fosse ela de vidro. lindo como sempre.
Um beijo e um bom fim de semana

Maria Clarinda disse...

Jinhos mil. Adorei , como sempre.

Nilson Barcelli disse...

Fotografia interessante, bem acompanhada de belas palavras.
A fazer jus ao nome do teu blogue...
Beijos.

JPD disse...

Brilhante.

(E diz-me lá tu se a escolha da «INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER» não foi a mais adequada?! -- Admirável! Genial!!)

:)