quarta-feira, dezembro 13, 2006

As barreiras da razão...





Hoje não me falem de dor
Levantei as barreiras da razão
Defini as palavras proibidas
Dor, não!
Digam do tempo, da chuva ou da bruma
Talvez do frio das noites
No conforto das casas aquecidas
Digam do mar
Que repousa em cachos de espuma
Diz-me tu, da vida
Não da tua nem da minha
Da dos desconhecidos que se cruzam
Na margem paralela do caminho
Conta histórias de outros tempos
De dias por conhecer
Enche-me de palavras os ouvidos
Das que despertam os sentidos
Sem limites nesta rota de ilusão
Hoje, dor não!



Foto by Lilya Corneli

32 comentários:

Bia disse...

É tens razão a dor, tem hora e deve ter um tempo limite. Mas temos de ser nós a mandar parar...
e como inteligentes que és mudaste o rumo e enganaste a dor no seu caminho...
beijinhos e um sorriso

SOL disse...

Um beijo enorme de carinho.
Daqueles que damos às crianças e dissipam instantaneamente a dor.
Um miminho

Com muita luz

desassossego disse...

Dor, nem hoje nem nunca...
beijo doce

bandida disse...

a orquestra oculta no emaranhado intervalo da acção.

só uma sensação.


limita(dor)a.

vida de vidro disse...

Agradeço, a quem deseje comentar e não esteja ainda na versão beta, que tente a opção "other" ou o faça como anónimo deixando o seu url.

Há um problema qualquer que o Blogger ainda não conseguiu resolver. Obrigada **

fotoescrita disse...

Sim, há muitas coisas bonitas de que falar e as tuas palavras cantam bem nos meus ouvidos.

Rui disse...

Amanhã, apenas a sua memória. Da dor.

hfm disse...

Gostei desta "margem paralela do caminho."

innername disse...

"...Conta histórias de outros tempos
De dias por conhecer
Enche-me de palavras os ouvidos
Das que despertam os sentidos
Sem limites nesta rota de ilusão
Hoje, dor não!"
é uma rebeldia e atrevimento dizer não à dor mas é assim que a podemos moldar noutra coisa qualquer, nas histórias dos estranhos que nunca deixam transparecer que a dor é um lenitivo que acompanha a palavra sentir, tão cheia de outras coisas, como o amor e sei lá, a saudade e sei lá mais quê, a ternura, dentro de outros estranhos sentimentos que ainda nem despertamos. Mas dor, não, não lhe reconheçamos a força quando nos damos conta que já acampou na nossa vida tempo demais. Queres fiado, dor? Toma! e em jeito de Mário Viegas ralhas que não e não só tem um sentido. E não admite prevaricações. Adorei o teu não (pq o senti por dentro como uma revirada em processo activo...lol...eu a armarm-me em psi...) e amei a foto....e caí de paixão pela música. Alice, aquele abraço chamado Obrigado da Nina

luis galego disse...

Hoje não me falem de dor...

belo o poema sensato recado....hoje não queo que me falem de dor...

Ana P. disse...

Dor?
Vamos esquecer a dor e falar apenas do bom da vida.

Beijinhos

Anónimo disse...

Há dor todos os dias.

Até quando vai durar impunemente esta porca vergonha e se irá meter a Igreja católica na sacristia?

Josefa Pacheca Pereira.

melgadoporto disse...

Dor rima com Amor!
Como as palavras são traiçoeiras, dadas aos maiores mal-entendidos!
Por isso,
“Hoje, dor não!”

nilson disse...

Gostei do teu poema por várias razões.
A primeira é porque está muito bem escrito.
Uma outra é a procura de coisas boas da vida, que também as há..., em detrimento de dores.
Excelente.
Bom fim-de-semana.
Beijos.

nilson disse...

Este comentador está meio estranho...
Pelo que percebi tenho que meter o endereço de e-mail do google e depois o link não funciona...

Nilson Barcelli

nimbypolis.blogspot.com

Rafaela disse...

¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•
(\_(\ ...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*
(=' :'):Olá vim te desejar um lindo final de semana!
(,('')('')¤...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*
¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•
...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*
...* Tenha um ótimo descanso e até a próxima semana!!!*
...* Lembre-se que a sua amizade virtual é muito ...*
...* importante e preciosa, que Deus nos abençoe!
¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•
...*...*...*...*...*...*...* *...*...*...*...*
¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•

Anónimo disse...

Boa tarde e um abraço. Complicado comentar aqui.


Amadis.

bettips disse...

Tens razão. Sempre que possas, usa-a. Fica BEM, sem dor!

Anónimo disse...

....

Anónimo disse...

Estou a fazer um ensaio porque não tenho conseguido deixar comentários.

Os ... anteriores são meus. :-)

M

non disse...

Sim,dor não!

Bonito mesmo!
Isto, escrito em Dezembro, só de alguém apaixonado e feliz.

:)

Bjs e bfs

Menina_marota disse...

Hoje não te falo de dor, mas sim de Amor...de um

Abraço
de um sorriso
de alma lavada...

Um abraço carinhoso e FELIZ NATAL para ti e quem te acompanha nestas horas.

;)

Poesia Portuguesa disse...

"...Diz-me tu, da vida
Não da tua nem da minha
Da dos desconhecidos que se cruzam
Na margem paralela do caminho
Conta histórias de outros tempos
De dias por conhecer..."

Um poema com o sabor da tua alma.

Um abraço carinhoso e um FELIZ NATAL
;)

Unicus disse...

A razão é claramente inimiga do coração..
(Adoro ler-te)
Beijo

efvilha disse...

Belo, Vida de Vidro.

Se somos a harmonia das cordas cósmicas, que em nossa Sinfonia jamais vibrem as cordas da dor.
Há tantas outras belas nuances nessa Sinfonia que podemos ser, que as cordas da dor, e todas a elas afinadas, jamais deveriam ser dedilhadas.
Carinhoso beijo amigo.

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

..................*
................**,**
.............*****,*****
...........*******,*******
....*********,,,,,,,,,,,*********
..********,,,Feliz Natal,,,********
....*********,,,,,,,,,,,*********
...........********,*******
.............*****,*****
................**,**
..................*

mac disse...

Por vezes é necessário fechar os ouvidos à razão, tronarmo-nos temporariamente loucos, e viver a vida...

Anónimo disse...

Ela, sublima a Alma..
com o tempo..permite-nos "entrar" também em outras almas..

Tem um Domingo arejado..
intruso

@Memorex disse...

È a primeira vez que aqui venho, e gostei do teu canto poético :)

Bjs carinhosamente Memorex.

Posso adcioná-lo no meu mundo silencioso?!

herético disse...

ha dias assim. solares. em que a vida são os dias por conhecer. e a palavra "repousa em cachos de espuma". gostei muito, muito

Teresa Durães disse...

gostei bastante!

boa tarde (agora parece... parece) que tenho mais tempo

Guilherme F disse...

Passei, por acaso, e demorei na leitura.
Gostei das palavras. Gostei dos sentimentos.
Bj
Gui