quinta-feira, novembro 09, 2006

Sei lá...





Sei lá…
à procura de mim…
Será?
Ou apenas um trilho
caminho desvio
por onde vagueio
sem norte, sem fio
que a volta me indique
em busca do nós
que não sei se existe
Não sei…
se o dia virá
que me mostre o fim
desse divagar
por fora de mim
ou se essa busca
de tão insistente
é já só mania
que me leva assim
por cegos caminhos
tão longos
sozinhos.
E o meu eu aqui
bem dentro de mim…



Foto by Rafal Bednarz

31 comentários:

melgadoporto disse...

Quem saberá...
Encontrarmo-nos a nós próprios são caminhos longos a percorrer.
Insistimos nas “auto-estradas” por serem mais rápidas.
Esquecemos, no entanto, que são percursos mais solitários e monótonos.
Percursos que não nos deixam sentir os cheiros, as cores, os barulhos
da vida que ao lado delas corre.
Quando quero “divagar”, e cada vez mais necessito, não as uso. Nunca!
Na vida nem tudo tem que ser rápido. Talvez, bem pelo contrário.
Só assim nos encontramos, encontramos e nos encontram.
Bj’s

A Lei da Rolha disse...

Adoro a tua banda sonora...
O trilho da vida não pára de nos supreender porque se assim não fosse, não teria piada viver neste mundo ou noutro qualquer.
bjs

Isabel disse...

Essa é a parte maravilhosa, vas porque caminhos fores consegues manter esse teu eu sempre bem dentro de ti.


É isso que te faz especial, calcorrear caminhos sem te perderes de ti própria.

Até já

Isabel

Bandida disse...

rebenta os muros.


o caminho deve estar por aqui.



abraço!
_______________________

as velas ardem ate ao fim disse...

Sei lá
Mas quem saberá
Não acredito que encontremos a essencia de nós
Acredito sim que renascemos e nos redescobrimos todos os dias...
Sei lá

bjinhos

Bandida disse...

...fêmeas, mesmo.



...

______________________

Bia disse...

"Sei lá..." Ninguém sabe, aí reside o mistério da vida e o encanto de nos irmos descobrindo numa ou noutra situação, deve ser o nosso "eu" a crescer... ocupa mais espaço e exige demais de nós.
Um beijinho

mfc disse...

Vamos por onde formos, sempre andaremos à nossa procura!

batista filho disse...

estou a remoer a cachola... bem, mais ou menos dia eu lembro do porquê estou a remoer a cachola...

quanto aos versos, os teus, tua busca... e finalmente teu encontro contigo mesma - valeuuu!!!

Licínia Quitério disse...

Uma toada que apetece repetir, repetir, até encontrar...

Beijinho.

Paulo Sempre disse...

Não se "perca", tá?
Beijos

João JR disse...

Sei lá...agora é que disseste bem Vida:)!
Gostei deste teu tb! E quanto ao grande Nuno Júdice penso como tu, adoro a simplicidade de como ele expressa sentimentos tão complexos, podes crer!!
Beijos grandes!

Miudaaa disse...

O teu dia vai chegar.
Caminhas pelo mesmo trilho que eu, ainda sem saber, como lá chegar.
Mas o teu dia vai chegar.

Eu sei que vai.

Um beijo de miudaaa

innername disse...

muito bonito este teu poema ...procurar fora o eu, vais encontrando mas o essencial não vais encontrar noutro lado senão em ti. E é bonito o que se pode "ver" daqui. que as buscas se mantenham frutíferas ;) bjito

sotavento disse...

Para os do sul, essa coisa do norte é muito vasta!... :)

Anónimo disse...

Parece que cantei enquanto lia...
Beijo.

naturalissima disse...

O teu "EU" existe!
A tua essência existe!
Descobrirás o quanto ela é bela.
Ela vive dentro de ti, dentro de cada palavra que escreves.
Nascemos, e voltamos a nascer vezes sem conta... E isto leva-nos a viver sempre novas descobertas e surpreendentes reencontros.

Um beijinho para ti, amiga
Daniela

Cris disse...

Caminhos, trilhas, vamos andar sempre à procura, sempre, caminhando e descobrindo, às vezes sós, outras vezes com companhia, é a vida e a busca de nós mesmos interminável....

Um bjo, Adorei o teu escrito!

Cris

Senhora das Aguas disse...

Eu muitas vezes tmb nao sei... :(( sei lá! Abraço

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

não sei...
beijos e bom fim de semana

mnemosyne disse...

E as palavras abrem caminho desnudando-te assim...tão docemente. Gostei de ler o teu avesso. Um beijinho

copa-rota disse...

" Esta procura,
Esta insónia interminável
De querer,
São apenas
Estúpidos caminhos
Que tracei...
E que me levaram
Somente
A mim próprio. "

Pain-Killer

Espero que encontres aquilo que procuras...

( Hoje sinto-me particularmente feliz...por isso deixo-te aqui um sorriso, esperando contagiar-te com a minha felicidade... )

Um bom fim-de-semana, Glasslife...

Adorei a música!

;-)

Riscos & Rabiscos disse...

Percorrer a nossa estrada e ainda nos encontrar-mo-nos nela, será tarefa dificil. Se conseguires essa plenitude parabens.

Kikas

naoseiquenome usar disse...

A nossa mais perfeita definição é esta indefinição e interrogação. Sei lá?
Não sei...


Um beijo.

Francieli Rebelatto disse...

Bem dentro de mim, também estou a procurar-me a entender-me...Que caminho difícil este pela qual buscamos repostas, afagos, certezas...mas que caminho bonito que com ele traçamos de palavras, de poesia...

Para alguma coisa este caminho de dúvidas a de servir, nem que seja para que nos encontramos nas próprias poesias...

beijos e cuide-se...belas palavras assim como um belo final de semana...

conchita disse...

O que me reserva o futuro?! Não sei...
Bom fim de semana :)

Anónimo disse...

Por mais caminhos que percorramos, nunca nos chegamos a encontrar.
Encontrarmo-nos e definirmo-nos seria o fim, o "sem-sentido" da própria existência.
O ser humano é um insatisfeito, e por isso mesmo não conhece os seus limites, nem tão pouco o seu céu.

Kalinka disse...

CONVITE:

Vem hoje - domingo - para o Magusto.
Continuam as castanhas assadas à tua espera, nozes e figos secos também na mesa e, não poderia faltar a jeropiga.

Cá te espero. Beijokas.

diabinho disse...

O teu "eu" está bem dentro de ti...
Eu encontrei o meu "eu", assimilei e depois encontrei a minha mais que tudo, uma mafarrica maravilhosa, que desperta ainda mais o meu "eu"...

Beijinhos

Anónimo disse...

[no paralelo;]



no limite


baixou uma luz ténue
na rua. na rua larga sem limites de passeio.
um modo estranho de percorrer o mesmo sítio
sem saber se fui. se estou.
sequer se existo. sei que é rua
pois diviso algumas casas. gente
que divaga. como eu. anda sem jeito.
perde-se a luz na rua. na rua larga sem limites
como os meus passos. no limite
do meu peito.

silepse

Calvin disse...

Muito bom! Gostei muito...desse divagar...desse (re)encontro com o "eu"...dessas palavras feitas de alma!

Ah, poeta!