sexta-feira, abril 03, 2009

Múltipla



Múltiplas cores
Duma paleta arbitrária
Múltiplos sons
Procurando a sinfonia
Partes de um todo espalhado
Nos recantos de viver
Múltipla
Sem chegar à unidade
Manta de gastos retalhos
Remendados dia a dia
Múltipla
Diversa mas tão igual
Na procura inquieta
Da luz que ilumina o voo
Da água do sol do sal
[da vida]

28 comentários:

alice disse...

iluminadas palavras de vidro :) um grande beijinho e bom fim de semana!

ADiniz disse...

Ola!
Tic-tac da arte,
contada em tempo no
Patchwork da vida!

lindo!
Bjs

ลndreia disse...

Procuro de volta essas cores! *

Violeta disse...

muito bonito e colorido.
bjs

meus instantes e momentos disse...

bonito, é bom voltar aqui.
Tenha um lindo final de semana.
Maurizio

maria disse...

E de "múltiplos" se faz a linha com que se bordam as horas dos dias, e em "múltiplos" se dobram e desdobram as páginas da vida, e que bom que é que seja assim...
Gostei muito
Beijinho

M. disse...

Trabalho moroso esse de "chegar à unidade". Sem dúvida!

Maria Clarinda disse...

(...)Diversa mas tão igual
Na procura inquieta
Da luz que ilumina o voo
Da água do sol do sal
[da vida]

...múltiplas as cores...lino este teu poema, agora com outro sabor novo, o sabor do retalho que se junta também no querer conhecer...conhecendo.
Adorei!!!Este fim de tarde!
Jhs muitos

Lmatta disse...

linda foto
lindo poema
beijos

tulipa disse...

As cores da vida que se misturam causando vários sentimentos.
um abraço
tulipa

innername disse...

multipla, mesmo sem usares o multiply ;)
Gostei, especialmente das partes de auto-reconhecimento? (sem chegar á unidade; diversa mas tão igual)

heretico disse...

reflexos de luz. no teu voo belíssimo.

beijos

Isamar disse...

Palavras de cristal fino da melhor qualidade.

Bem-hajas!

Beijinho

Licínia Quitério disse...

As múltiplas paletas em que a nossa vida se mostra e se esconde e se inventa e, por momentos, se inaugura.

Um beijo para ti.

Ad astra disse...

o colorido
dos retalhos que
sempre ilumina a procura...

Laura disse...

múltiplas, a dar colorido às palavras...

casa de passe disse...

já não tem sal a minha vida e não há sol que me aqueça...



Ernesto, o avô

~pi disse...

sol e sal

lembro... algo

que

li algures:

cama, corpo,

(( orgasmo

vegetal :)




beijo




~

Oliver Pickwick disse...

E o que é a vida. senão sequências de alto contraste dia após dia? Aliás, igualzinho à imagem.
Um beijo!

Susn disse...

E vamos acrescentando retalhos de sol e de sal e de nada às vezes.

Múltiplas vidas :)

Beijo

dona tela disse...

Apesar das circunstâncias vigentes, auguro-lhe uma Boa Páscoa.

Até breve.

Menina do Rio disse...

Lindissimo! Espalhado e espelhado em imagens e letras

Beijinhos

ps: não vinha aqui já há tempos...

Melga van Porto disse...

Múltiplas…
Fez-me lembrar os jogos de sexta-feira.
Aqueles em que todos “colocam” a vida.
Mas como a vida, as múltiplas são isso.
Mero desdobramento do destino.
Num caso, a sorte ao jogo.
No outro, a sorte na vida.
Em ambas uma procura inquieta!
:-)

Secreta disse...

Multiplas cores , sentidos e sentires.
Beijito.

bettips disse...

Gostava desse poema meu.
Sinto-o.

(e sim, as mulheres fariam um mundo diferente, mais útil para viver dentro. As mulheres são como utensílios sentimentais, no manejar da interioridade, seria preciso usá-las, na vida, no amor, na arte, na política, na sociedade...)
Bjinho

Fa menor disse...

Manta de retalhos que unidos formam um só todo. Sejamos assim!

Votos de uma Boa Páscoa!

Bjs

Paula Raposo disse...

Sempre bonitos os teus poemas, Alice. Muitos beijos.

nuvem disse...

Houvessem palavras para todas as cores e facetas da vida...

Muito bonito, como sempre :)

Beijinhos