quarta-feira, setembro 26, 2007

As tardes




Agora as tardes já se perdem
no vulto dos barcos no ocaso.
No sonho de navegar olhos vagueiam
por letras do passado em corpo lasso.
Há rotas por explorar em fim de dia
antigos risos reflectem o sol poente.
Soltam-se sonhos
lembranças vagas de outra gente
que não nós,
ancorados na tarde da melancolia
à margem de uma vida já urgente.


Junho 2006

42 comentários:

Licínia Quitério disse...

Um belo, belo poema. As palavras voltaram, poderosas, cheias.

Um beijo.

jawaa disse...

Exploremos as rotas!
Bonito poema.
Um abraço

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Mergulho de saudade, num Outono já chegado.

Basta o mar para olhar e o céu para contemplar...

Gostei d' "As tardes" tuas.

mac disse...

Os poentes estão a chegar cada vez mais cedo, as tardes fundem-se rapidamente com as noites.
Já sabe bem beber 1 café ao fim da tarde ao som da musica de Miles Davis

carteiro disse...

Esse Junho em que foram escritas faz-me pensar nalguma nostalgia outonal... talvez pelos tons do pôr-do-sol, cujos tons são semelhantes em qualquer altura. Foi apenas, repito, o que me fez pensar. Lindas, lindas palavras!

Um Momento disse...

E eu perco-me nas tardes
E absorvo as tuas palavras
Refito sobre elas
Dão-me luz ao pensamento
Beijo... em ti
(*)

AcidoCloridrix disse...

Pois é,,, está a chegar o Outono, o sol põe-se mais cedo, as tardes porporcionam a essa nostalgia dum belo poema,,,, beijooo,,, HCL

Carracinha linda! disse...

As tardes... Começou o Outono e já se nota que as tardes são bem mais pequenas. Não sei porquê mas quando chega esta altura começo a entrar em nostalgia... Parece que me faz pensar (mais) nas coisas da vida.

Bjs

Secreta disse...

A vida é sempre urgente ... por isso , não podemos deixar nenhum pedacinho dela por explorar ...
Beijito.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Boa tarde e um abraço. Já faz frio, aqui.

( Saltou a tampa ao PR ).

Miss Lau disse...

como adoro mrar em frente ao mar

:)

Maria Clarinda disse...

"...Há rotas por explorar em fim de dia
antigos risos reflectem o sol poente...."

Maravilhoso este teu poema com que me identifico totalmente.
Um Jinho

Maria Clarinda disse...

E aqui da janela da minha casa neste momento o sol está a pôr-se enchendo o quarto com o seu tom dourado! Ofereço-te este momento.
Jinhos

herético disse...

belíssimo.

barcos ao acaso navegando em tardes soalheiras

tufa tau disse...

que delícia quando os sonhos são soltos
quando nos seus vultos nos vemos
quando neles nos rimos
que delícia quando são sonhos vivos

Mateso disse...

Poema de palavras e sentires elegantes.Há harmonia e paz.
A urgência de nós perde-se no riso dos raios laranja que correm lestos para a csa azul.
Bjinho.

Nomundodalua disse...

ain que tom nostalgico e melancolico..
espero que vc tenha muitas belas tardes ainda..viu??
aproveite bem os dias de sol e luar!!
x*
namastê!

maria carvalhosa disse...

Felizmente, amiga, o teu ser poético nunca chegou a deixar-se submergir, apesar das tuas premonições... ou estado de espírito temporariamente negro. Lindo poema com fotografia plena de poesia.
Bjo.

C Valente disse...

Lindissima a foto, belo o poema
saudações amigas

R Lima disse...

Vida urgente suscita pressa, e não sei isso exatamente se isso nesse momento faz bem.

Falo por mim, e talvez pela leitura do que escreves.

Abçs,


[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Secreta disse...

Olá .
Venho desejar-te bom fim de semana.
Beijito :)

PAULO SANTOS disse...

Mesmo que não pareça....
Vezes sem conta passo por aqui....
Nunca esqueço que eu gosto...
Escrever continua a ser uma prova de fé... Uma dor...
Como sempre gostei das tuas letras....
A urgencia da vida....uma sociedade demasiado urgente....
Devaneios....

Um beijo

AMMedeiros disse...

E essas são as tardes que nos acolhem num aconchego cálido...

Excelente.

Um beijo

as velas ardem ate ao fim disse...

Agora passa tudo muito depressa.Eu sinto.

bjinhos

maria josé quintela disse...

tardes mornas. que fazem o tempo estender-se pelas lembranças.

un dress disse...

melancolia...nome de música triste.




e as tardes: sentadas no mar.




beijO

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Continuo em recuperação da cirurgia que sofri, mas mais calma agora que regressei a casa após ter estado 2 semanas ausente.
Ainda me encontro um pouco atordoada, mas aos poucos vou regressando, hoje ao retornar ainda me fogem as palavras… por isso desejo apenas um bom fim de semana
••. ¸.♥ Beijos ♥ ¸.• ♥≈Nღdir≈♥

M.P. disse...

Ness sintonia está o ocaso... Mas o do Sol é pleno de cor... Forte... Lindo... Isto dá força para continua vivendo.. Apesar de tudo... Bom fim de semana.. Beijinhos muitos!

Lord of Erewhon disse...

Perfeito: dos melhores poemas que li.

Dark kiss.

Frioleiras disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Frioleiras disse...

Outono a chegar e as tardes a unirem-se,
completamente,
às noites...

curiosamente gosto ! ...
É quando me sabe bem ouvir música e estar a ler ou ...aqui!

Anónimo disse...

Vários dias se passaram
Iridescentes sóis
Doídos de tão quentes
Antes que me dispusesse

Digitar
Esse comentário.

Volto e percebo a beleza
Inconteste dos versos teus:
Doce razão que me faz
Retornar ao teu sítio
Onde palavra/imagem flores do mesmo ramo.

(um abraço fraterno,
batista filho)

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Bom fim de semana e um abraço.

Nilson Barcelli disse...

Escreves tão bem...
Soltam-se os sonhos, à margem de uma vida já urgente...
Mas... enquanto o luar cresce e nos abraça, ainda há tempo de criarmos sobremesas de flores.
Bfs, beijinhos.

santiago disse...

e há-de vir
o inverno.

eficaremos
à espera

do fim da última estação.

Páginas Soltas disse...

Já o outono espreita e o sol se esconde.. mas os teus poemas estão sempre repletos de muita luz.. beijinho

triliti star disse...

não comento.

sinto

Marinha de Allegue disse...

Soltalos sonhos, xenial!!!.

Unha aperta grande.

*Voute anexar aos meus links
:)

©õllyß®y disse...

Outono que nos transporta há melancolia...

Doce beijo

Entre linhas disse...

Existe sempre um certa melancolia aquando da chegada do perfume do Outono,época de liberdade aos sonhos tal como o voo pleno das folhas das árvores.
Bom fim de semana
Bjs Zita

innername disse...

uma contradição constante...lembrança vaga de gentes que nao nós....e antes o sonho...depois ancorados (estacionados numa qualquer tarde, cheia de melancolia, a tristeza doce com risos do poente à margem de uma vida já urgente, vida já urgente ja urgente vida, ancorados e vou por aí fora a cismar com as tardes que te prendem que se perdem que ancoras no peito. Olá Alice, sentir parece-me ser o mais importante. Vais explorando rotas possiveis e as outras que te inquietam passas para o papel. Depois de desenhadas são mais fáceis de navegar, não são?

M. disse...

Lindíssimo!