segunda-feira, outubro 09, 2006

Manhã de sol incerto






É nas manhãs de sol incerto que encontro a vida suave das árvores que me fitam, imóveis. E o canto ligeiro dos pássaros, quase inaudível para quem não está atento.
Existe um quase silêncio quebrado pelos passos de algum caminhante que talvez queira só olhar as folhas que começam a cair. Ou, quem sabe, talvez aproveite a quietude da manhã para se conseguir ouvir.
Quando o sol começa a querer afirmar a sua presença e a hora avança nos passos apressados e no ruído dos carros que chegam, é altura de partir. Até as árvores já perderam o seu ar de confidentes, sabedoras de segredos antigos. Vão entrar na rotina do dia, simples árvores que quase ninguém olha. Estarão aqui numa outra manhã de sol incerto, esperando quem com elas fala, em silêncio.




Foto by vida de vidro

39 comentários:

sotavento disse...

Isso de falar com as árvores é legal?!... Tu vê lá se te apanham!... :)

herético disse...

passeio-me por essa alameda de palavras sensíveis e belas, na esperança de poder recolher uma folha que seja, desprendida pelo sol de outono...

... em louvor da terra e da água.

Cris disse...

Esse instante, mesmo antes do dia começar, é um tempo quase parado, onde tudo se sente, tudo se ouve, é o momento perfeito, como perfeitas são as tuas delicadas prosas.

Um Bjo

Ris

Vida disse...

Outono uma estação do ano cheia de encanto, onde a renovação nos enche de esperança. Bom texto.

Beijinhos.

anacanela disse...

bonitas palavras...bonitas ideias...mais do que existir na natureza há que sentir a natureza ...assim só sem mais...com certezas de sol incerto, com os sentidos em pleno, de peito aberto* um abraço

Teresa Durães disse...

gostei bastante do que li e (nfelizmente) da verdade que dizes. costumo por piada comentar que hoje em dia as pessoas para verem se está a chover em vez de ir à janela preferem ver na televisão ou na net :(((((

boa tarde

Miudaaa disse...

a tranquilidade que eu senti, ao ler-te é impressionante... mesmo que possa haver alguma nostalgia, fizeste-me sentir serena... é bom. obrigada.
1 beijo da miudaaa

Isabel disse...

Tenho a certeza que em silencio falas com as arvores... eu farto-me de conversar em silencio com tudo... tantas das minhas conversas com o mundo são em silencio...

Obrigada pela paz e beleza que emana do teu texto...
Fazes bem à alma sabias?

Beijos,

Isabel

pitanga disse...

Lindo demais. Pude sentir a beleza da manhã de sol incerto.

beijos doces como o texto

pitanga disse...

Voltei, porque só agora abriu a imagem. É mais lindo ainda!

jo disse...

Tens toda a razão, quando pela manhãzinha vou com os meus cães ao jardim longe do buliço da cidade, sinto o que tão bem descreves.Obrigada pela tua simpática visita ao meu blog
Bjs

Luna disse...

è nessa quietude da manhã que encontramos o silencio intereior
beijos

mac disse...

É sempre bom ouvir o som do silêncio...é um som maravilhoso, em que descobre inconfessáveis mistérios.

Estrela do mar disse...

...de manhã...tudo nos parece suave como este teu belíssimo poema...


Besitos e cont. de boa semana.

Louco de Lisboa disse...

Dou muitas
vezes comigo a olhar para as árvores como tantas vezes olho para as nuvens á procura de formas que me lembrem outras vidas por elas criadas. (estou de relaçóes cortadas com a virgula)
Olhei para a foto e repetiu-se acho que é uma tara qualquer que eu tenho.

"A solidão era eterna
e o silêncio inacabável.
Detive-me com uma árvore
e ouvi falar as árvores."

Juan Ramón Jiménez

Kiss, até outro instante!

Bia disse...

Lindo! Só quem é verdadeiramente belo consegue ouvir-se e falar em silêncio com a natureza. É muito saudável a paz que ela nos proporciona, mas tem de ser mesmo naquelas "manhãs de sol incerto", porque só nessas manhãs sai quem deseja procurar essa luz e essa paz que não é para todos, as arvores são as mesmas mas os olhos e o coração de quem as vê é que faz toda a diferença...

PAULO SANTOS disse...

Adorei!
A prosa e a foto!
A mescla de ambas!
Esta especialmente porque foste tu a artista completa!!!!
Os meus mais sinceros parabens!!!!

Paulo!

Beijo

-----
Desculpa a publicidade... mas há um pequno concurso no Interior... e tou a avisar todos os que me visitam!!!!
Tens é que te apressar... O tempo urge!!!!!

Beijinho mais!!!

Estranha pessoa esta disse...

As árvores...
..
Confidentes!
E é o vento, e são os cheiros e são elas ..

..
**

Licínia Quitério disse...

Este Outono que não deixa ninguém indiferente. Lindas folhas aqui nos deixas. Esperando por frescuras...
Beijos.

kikas disse...

Engraçado, todos os dias de manha faço um trajecto onde vejo muitas arvores e acreditas que muitas vezes dou por mim a aprecia-las e a falar com elas. Pois é, há malucos para tudo

innername disse...

essa linguagem que não nos atrevemos em público, pelo receio do ridiculo e tantas vezes ridiculos por coisas bem mais insignificantes. Também eu amo as primeiras horas do dia, quando as pessoas são ainda fantasmas que não incomodam. E a comunicação com a natureza se torna possível. Aí temos uma noção exacta da nossa humanidade, pequenez e poesia. ;) um bom dia my friend. Planeta terra a entrar em hora de ponta.

diabinho disse...

Esse instante, quando o dia começa, é a altura perfeita, para partilhar o acordar com a nossa cara metade, para esboçar o sorriso que perdurará pelo dia...
Mesmo que a manhã seja incerta, o que se sente é a energia que nos alimentará todo o dia...
Beijinhos

frog disse...

Um belissimo texto que inspira tranquilidade, escrito ao sabor de um Outono que volta com nostalia, mas com as cores quentes e incomparáveis que a debilidade do sol tornam ainda mais belas...

Beijos...

A Lei da Rolha disse...

A teu texto descreve uma ternura muito grande perante a natureza, porque ela existe para nos tranquilizar e deliciar...obrigado!
bjs

copa-rota disse...

Breves momentos mágicos...de quem faz uma leitura atenta...

Gostei do teu comentário.

Um bom dia pra ti, Glasslife...

;-)


Miguel

copa-rota disse...

...ia esquecendo a habitual sugestão musical:

" LOVE ME AS I AM " - Sadao Watanabe


Fica bem ;-)

DIAFRAGMA disse...

..."Até as árvores já perderam o seu ar de confidentes..."

Lindíssimo texto que dá outra vida às árvores.
E encontraste uma "confidente" lindíssima e imponente para fotografar.

Francieli Rebelatto disse...

manhã de sol incerto, que momento...Bonitas palavras, vou passar a olhar o dia e as árvores de outra forma..Obrigada..beijos

karvoeiro disse...

adorei as imagens ke tens no teu blog, lindas mesmo.

FOTOESCRITA disse...

Tão bonito este teu falar! Adorei!

JPD disse...

Excelente exercício de comunhão com a natureza.
Muito bonito.
Bjs

weg disse...

:)

Eu já nem temo falar com elas sem ser em lilêncio. A ser louca por isso, pois que seja!

Antes com elas que....

Bom ver-te de regresso e tão suavemente.


Bj

Bandida disse...

As árvores têm tormentos que não se explicam nunca... tormentas de folhas...

Rui disse...

Estamos naquela altura do ano em que elas nos mandam mensagens escritas em folhas. Não é dificil perceber o que nos contam, basta estar a tento a elas.

.*.Magia.*. disse...

Falar com arvóres é uma arte!
Entende-las, é um regresso ás origens...é vestir as folhas e calçar as raizes e levar na mão um amanhecer de Sol incerto!!!!

Beijikas Majokas...de cabeça para baixo!

melgadoporto disse...

Silêncio!
Em garoto o silêncio assustava-me, tinha mesmo pavor. Na adolescência o silêncio deixou de me assustar e passou a ser um enfado. Quando fui pai o silêncio das crianças era ouro nos meus momentos de retiro. Há bem pouco tempo o silêncio voltou de novo a desesperar-me. Ontem definitivamente aceitei que só o silêncio é esclarecedor. Só ele nos permite o repouso que certos pensamentos exigem!
Hoje sei onde encontrar o silêncio – dentro de mim!
;)

Maria Clarinda disse...

"Quando o sol começa a querer afirmar a sua presença e a hora avança nos passos apressados e no ruído dos carros que chegam, é altura de partir. Até as árvores já perderam o seu ar de confidentes, sabedoras de segredos antigos. Vão entrar na rotina do dia, simples árvores que quase ninguém olha. Estarão aqui numa outra manhã de sol incerto, esperando quem com elas fala, em silêncio."
É assim a Mãe Natureza...e tantos que passam sem a sentir...
Lindo, jinhos.
Ah, a foto simplesmente linda!!!!!

Frioleiras disse...

Adorooooooooooo o Outono ...
Que outra estão poderá ter mais doçura, mais intimismo, mais conforto ? è como uma caixa dourada, onde tudo poderá caber: sentimentos, música, arte ...

Luisa disse...

Ainda dizem que a prosa não é tão bela como a poesia. A tua diz mais do que muitas das poesias que por aí aparecem porque o teu texto tem tudo: conteúdo, musicalidade, ritmo. E faz chorar!!!