sábado, dezembro 05, 2009

conversa

tenho este hábito de iniciar conversas como se da minha janela de chuva avistasse algum olhar cúmplice que me desse de volta as palavras perdidas algures entre horas de sufoco e outras de tédio que assim é feita a vida digo isto como se não soubesses mas a minha voz não serve para trazer nenhuma novidade são só pensamentos que correm em fio como a chuva de sentimentos molhados que se entranha na pele nos músculos até rasgar depois deixamos que tudo seque que tudo sare e olhamos de novo o sol aprendemos talvez tudo isto lentamente não somos feitos de massa moldável e só depois de algum tempo percebemos a vantagem de dobrar e não partir será a isso que chamamos sobrevivência se alguém soubesse seria senhor dos mistérios da vida sou mais de ciências exactas e gosto de explicar os mistérios sem domar os pensamentos só porque há coisas que não se explicam ainda existe em mim alguma rebeldia depois de tanto tempo talvez seja isso que me chama para lá da janela de chuva para lá da protecção claustrofóbica do vidro à conversa sem fim adivinhando olhares cúmplices.

14 comentários:

Paula Raposo disse...

Um prazer reler-te.
Esperemos os olhares cúmplices. Que a existirem, estão muito bem escondidos...
Beijos.

simplesmenteeu disse...

Tudo seria mais fácil se o caminho e o pensamento fossem feitos de ciências exactas.
Mas não (para alguns). O caminho tem pétalas ou espinhos, escolhos e perfumes raros. E, tem fadas e países encantados.
Para lá "da janela de chuva" os olhares encontram-se. Conversam, em segredo, sobre viagens que os outros desconhecem.

Beijo carinhoso

Maria Clarinda disse...

Hoje vim ler-te...tenho pensado muito em ti! Como uma distância de metros numa mesma rua fazem os não encontros!!!
Jhs no teu coração.

Violeta disse...

Adoro mesmo ler-te. por vários motivos, mas também porque me revejo no teu sentir, nas tuas palavras...
bjs

mfc disse...

Temos uma capacidade de sobrevivência que nos espanta!

Justine disse...

Fiquei sem fôlego ao seguir este teu rio-pensamento de sentires feito, até à foz da solidariedade!

Naty e Carlos disse...

Que o seu Natal seja cheio de paz e harmonia
em companhia dos amigos e da família.
Que a passagem deste ano
renove e revigore
em todos nós a esperança
de saúde,
prosperidade,
bem estar
e felicidade.
Boas Festas

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

bettips disse...

As conversas
esfriadas dos ramos
das árvores. Despidas.
Épocas e estações de vida que cada um sente.
Beijinho A.

entremares disse...

Os olhares cúmplices são isso mesmo, creio; partilhas de segredos.

Tudo de bom para ti.
Rolando

PS- Se por acaso visitares o ENTREMARES, não ligues à desarrumação... estou em mudanças.

innername disse...

muito tu apesar da falta de pontuação aboliste as regras
abraço com olhar cumplice enregelado de neve manda-me sol

tulipa disse...

Que o Natal,
em lugar de ser apenas uma data,
seja um estado de espírito
a nos orientar a vida, permanentemente.
Os meus votos para ti e familiares de que este Natal traga alegria, paz e muita felicidade para todos os dias do Ano Novo.
Beijinhos

NOTA: este ano, nos meus 2 blogues, apresento 2 árvores de Natal (pinheiros) bem originais.
Convido-te a ornamentá-los com aquilo que achares que lá fica bem...pode ser bolinhas, fitinhas, palavrinhas e até pensamentos.
Podem ser:
emoções,
sentimentos,
abraços
e outros miminhos.
Eu agradeço!!!

as velas ardem ate ao fim disse...

Recusemos a ideia do Pai Natal em que os desejos caem do Céu.

Ousemos acreditar no Pai Natal como ideia de esperança e confiança sem limites.


Feliz Natal!