domingo, julho 05, 2009

Pedra e ar


Por vezes sou a pedra virada para o mar. Imóvel, numa espera ardente. Outras, sou ar, a vibração inquieta, sem sossego. Numa constante procura de correntes favoráveis. Vento, quando chega o tempo da borrasca.
Sei os mundos secretos, paralelos que separam a pedra do ar solto que a rodeia. E tantas vezes os aproximam, como se o sólido e o etéreo fossem um só corpo. Uma só palavra. A que digo para ser ouvida. A que procura entendimento. A que, na imensidão da água ou na inquietação do vento, se perde, sem que dela reste o eco. Ou sequer o indefinível aroma chegue ao alvo desejado. E então sou só pedra. Que o ar escoa-se em caminhos cada vez mais estreitos.



Obrigada, Laura

14 comentários:

hfm disse...

Gostei desta pedra isenta de ar e porque ele existe.

~pi disse...

uma só palavra pode ser

a vida inteira,

[ uma-só,



beijo




~

Paula Raposo disse...

Porque os caminhos são cada vez mais estreitos, as pedras são mais belas! Muitos beijos.

Lmatta disse...

parabéns pelo prémio
bela foto
belo texto

Mar Arável disse...

As pedras têm nome

e algumas respiram

por guelras

Vasco Gamito disse...

Os mundos secretos são os mais difíceis de colar ao sólido e ao etéreo. Boa semana.

simplesmenteeu disse...

Ser pedra e ser silêncio.
Ser dentro do silêncio a voz da terra.
Ou o ar, que ora a beija, ora a fustiga. Às vezes, lambe-lhe as mágoas, é amante e companheiro. Outras, sai de partida, deixa-lhe as feridas abertas, segue louco e em correria...

Um beijo

Laura disse...

As pedras são eternas.
Não precisas de agradecer, foi com muito prazer.
Um beijo grande.

Secreta disse...

Pedra e ar ... cada um com as suas "responsabilidades" no teu ser...
Beijito.

as velas ardem ate ao fim disse...

somos tanto!

um bjo

innername disse...

um só corpo. Uma só palavra.
Procuras em ti a união?
Porque andando para tras nos teus poemas ( a eito rewind), sinto/penso/ouso acreditar que finalmente possuidora de ti (com questões e tudo) te encontraste coesa, inteira e isso agrada-te.
Pode ser só uma ideia, uma leitura. A minha, of course, Alice agricultora

O Profeta disse...

Mas os golfinhos continuam felizes
A cavalgar ondas de madrepérola
A Lua sorri tristemente e pensa
Haverá alguém mais perverso do que ela?
Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração

Boa semana


Doce beijo

Violeta disse...

Fizeste-me lembrar um poema que se chama A Pedra... não me lembro...
bjs e fica bem.

heretico disse...

pedras vivas.
como estátuas. em jardins encantados...

belíssimo.