quinta-feira, novembro 08, 2007

Um porquê



Há um novo porquê suspenso no tecto
cada vez que o olho
quero dizer que esses são os dias bons
aqueles em que as perguntas se renovam
sem resposta necessária
ou suficiente. Sei lá das suficiências
ou necessidades.
Sei dos dias cheios de porquês
que se balançam como se quisessem
gerar ideias.
É talvez por isso que existe o tecto
não para me tapar as dúvidas.
Lá fora o dia juntou todas as cores
branco límpido.
Se perguntasse para onde foi o azul
ou o dourado
estaria a inventar mais um porquê
e não posso.
A regra manda que se suspendam do tecto
para que os dias possam ser brancos
e não haver dúvidas.

63 comentários:

santiago disse...

A regra manda, mas subsiste a teimosa dúvida...

...e as extraordinárias fotografias.

Guilherme F. disse...

Eu diria que são as Pedras que carregamos....
Gostei das palavras. Agradeço as tuas.
bj
Gui
coisasdagaveta.blogs.sapo.pt

PintoRibeiro disse...

Belíssima a fotografia.
Excelente, o post.
Bjinho.

melgadoporto disse...

Costumo dizer que devemos andar de nariz bem no ar.
Não por altivez, mas sim porque no ar é que habitam as cores e os odores.
E também os “porquês”, é verdade!
Preferível encará-los, do que levar com eles na cara sem contar.
Devemos ser o que somos e não o que os outros esperam que sejamos.
Não é fácil. Mas dar o melhor para que não hajam dúvidas:)
Detesto lâmpadas que ondulam no ar, ao ritmo de ventos e desalentos, mudando constantemente as sombras de lugar…

maria josé quintela disse...

se a resposta fosse suficiente, que seria do azul?

jawaa disse...

As cores continuarão por lá, unidas,
«para que os dias possam ser brancos»
quanto a «não haver dúvidas»já não sei.
Deus está dentro de nós, já me visitas há tempo suficiente para saber o que penso disso.
Um abraço

Marinha de Allegue disse...

Días de porqués a moreas, nunca faltan deses días.

Unha aperta.
:)

pin gente disse...

uma dúvida, um porquê
para quê mais?
se tantas temos, se tantas há
uma pergunta sem resposta
uma resposta
sem que tenha havido pergunta
talvez outro porquê!
porquê outro talvez?
mesmo suspensas do tecto
nunca há certezas seguras
mesmo seguras da pergunta
haverá respostas suspensas

beijo (seguro)
luísa

C Valente disse...

Bom post
Bom fim de semana
Saudações amigasS

Mateso disse...

virei com tempo.. ler... a preceito e não de corrida. Agora não comento. Apenas para te pedir um olhar no meu azul .Tens um pequeno desafio. Obrigada.
Bj.

un dress disse...

Faz-se luz pelo processo
de eliminação de sombras
Ora as sombras existem
as sombras têm exaustiva vida própria
não dum e doutro lado da luz mas do próprio seio dela
intensamente amantes loucamente amadas
e espalham pelo chão braços de luz cinzenta
que se introduzem pelo bico nos olhos do homem

Por outro lado a sombra dita a luz
não ilumina realmente os objectos
os objectos vivem às escuras
numa perpétua aurora surrealista
com a qual não podemos contactar
senão como amantes
de olhos fechados
e lâmpadas nos dedos e na boca

Mário Cesariny






bOm tempO. de luz e sombra.........

Um Momento disse...

E o porquê persiste...

Gostei de ler ...
E com os meus porquês me vou

Desejo um lindo dia

Beijo ...sem questionar:)))

(*)

A Lei da Rolha disse...

Acho que a idade dos "porquê" nunca termina!
Acabaste de o confirmar neste lindo poema que nos ofereceste.
bjs

Fuser disse...

O meu diário de canções retorna nesse Doce Novembro.

beijos

Fuser

Nilson Barcelli disse...

Todos os porquês
estão suspensos no tecto,
por cima de nós,
tipo chouriços
ao fumeiro
à espera da cura...
E, um por um,
vamos comendo
os chouriços,
tal como vamos decifrando
os porquês
que precisamos
para explicar
as dúvidas
que nos defumam...


Bfs, beijinhos.

M. disse...

Delicioso.

Bia disse...

PorquÊ?
A idade dos porquês... é toda a vida... sempre me perguntei muito, ainda hoje me pergunto, não necessariamente a olhar para o tecto, mais a olhar para dentro de mim... porquê que eu sou assim?
mas alguém muito sábio me disse não faças perguntas maiores do que tu... lá me calei...
os dias não podem ser brancos, têm de ser ás cores... porquê?
Porque as minhas dúvidas, os meus porquês fazem parte de mim e da minha vida.
beijo meu
Venho até aqui sempre que posso. Porquê?
Porque gosto de te Ler, de te ver desse jeito tranquilo mas muito sensivel e atento a tudo o que mexe acertei??

Sara disse...

...o porquê é salutar!

(Parabéns pelo blogue)

Baudolino disse...

"Sei dos dias cheios de porquês
que se balançam como se quisessem
gerar ideias."
Obrigado por mais este post
Abraço
P.

Tchivinguiro: onde nasci. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Entre tecto e chão.
Porquês que vêm, que vão e que tornam a voltar.
Com respostas ou sem elas, mas nunca iguais.

Beijinho.

Licínia Quitério disse...

Pendurar os porquês no tecto, como lâmpadas. Poder apagá-las ou acendê-las. Era bom, não era?

Beijinho.

impulsos disse...

Existem porquês que mais vale não os desvendar...
E esse novo porquê, talvez seja um deles...
Fica bem lá onde o puseste,
pendurado no tecto...

Gosto muito do que escreves!

Beijo

Oliver Pickwick disse...

Olá! Passei para ler os novos textos, e mal cheguei, já me surpreendo com esta poesia refinada, Um porquê. E como se isso ainda fosse pouco, tem Miles Davis no playback. Gosta de mimar os seus visitantes, hein garota? Eu pelo menos não me importo nem um pouco com mimos desse tipo.
Destaquei:
"...quero dizer que esses são os dias bons/aqueles em que as perguntas se renovam/sem resposta necessária..."
Criativo e verdadeiro!
Um beijo e tenha a melhor das semanas!

Mateso disse...

É na luz que o porquê se torna comum...

bj.

Mateso disse...

É na luz que o porquê se torna comum...

bj.

mfc disse...

Há sempre respostas por dar...

Menina do Rio disse...

Eu te desejo uma semana de dias brancos e ensolarados!

Beijinhos

herético disse...

permite que te recomende mais uns quantos lugares no tecto. para muitos porquês e algumas certezas.

são belos poemas! os teus...

carteiro disse...

qualquer objecto diante dos nossos olhos pode tomar a forma de um ponto de interrogação... que forma um caminho até esse tecto. e lá vivemos nós para trepar e achar a luz que faz com esse caminho se desvaneça na brancura e na leveza.
gostei muito destas tuas palavras.

Secreta disse...

Existem sempre os porquês suspensos ... e sempre que pensamos ter controlado todos eles , eis que aparece mais um , e depois outro , e outro ...
Beijito.

poca disse...

hummm.. vais-te embora assim.. sem mais nem quê? :(

Arte de Amar disse...

Por vezes faz bem nos retirar-mos para apenas e unicamente pensarmos em nos.

Beijo querida....volta logo...cá te espero

Arte de Amar
www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

NinaOwls disse...

fiquei cheia de duvidas, fui-te seguindo os passos de trás, de onde as folhas amarelas se acumulam nas escadas, e subindo até chegar ao destino que estas a dar ao blogue. E mais duvidas cairam do tecto que se quer branco, do sabor do vidro e do sol na boca e no espírito. Não sei porque vais. Mas que o universo de blogues que tenho nos favoritos vai fechando a meio gás, com a tua ausência.
Quando abri o blogue, há coisa de 15 minutos pareceu-me ter sentido dúvidas mas não ter este vou a falar de suportes e partidas e duvidas. Pena de ao saires da pagina não te encontrar numa esquina qualquer para tomar um café...fico à tua espera. No mail. Para saber que moradas que endereços que desvios faço para ter acesso à Alice. Virtual é tudo o que conheço, é a realidade que construo e da qual tb fazes parte. Prontes! Dou de frosques e apago o cigarro. Abraço ninense.

C Valente disse...

Saudações amigas

MADRUGADA... disse...

Eu espero que aquilo que acabei de ler no post anterior não seja aquilo que eu estou a pensar.

Vai,
mas volta*

Rafael Velasquez disse...

triste?

Guilherme F. disse...

A partida também é um novo começo...
Bj
Gui
Ps.o problema no Perfil Blospot está resolvido!

PAULO SANTOS disse...

Deixas em mim saudade!
Mas não te puxo.
Não é crueldade...apenas liberdade!
Se há mundo pleno é este o da blogosfera!
Ninguem tem que provar o que seja!
Escancaramos as portas de nossa casa, de nossa alma, de nosso coração para quem queira entrar...
Aqui criam-se laços....
estranhos laços de afecto....
E consigo dizer com toda a simplicidade - Gosto muito e ti!
Porque não tens que o aceitar!
Porque to dou sem nada pedir em troca!
Não há logros!
Para onde vais..que sejas feliz!
Vai e volta e torna a ir...
em mim tens um amigo e sabes sempre a minha porta!

Um beijo
Paulo

♥≈Nღdir≈♥ disse...

vou sentir a falta da tua presença neste tempo de ausência.
beijos

M.P. disse...

Um BEIJO GRANDE... Fica a saudade .. mas... os caminhos trilhados por aqui têm tido reencontros ...:) Sei que não te perderei o trilho. Até sempre

carteiro disse...

leio as tuas palavras acima não sem alguma mágoa, não perante o que li mas de compreensão e saudade antecipada.
Aguardo então o dia em que os vidros quebrados fundir-se-ão e ditarão aos teus pés o caminho de regresso até aqui.
Um beijo e até lá.

Carracinha linda! disse...

Olá Vida Vidro,


Espero que tenhas ido, mas que voltes. Encontra o teu caminho, descobre o teu equilíbrio... e volta! Eu vou ficar á espera do teu regresso.

Beijinho grande, onde quer que estejas

Anónimo disse...

Cada dia..é sempre mais e um novo dia..
..creio que aqui escreves em termos poéticos, será? ou não..mas sei que nunca conseguiremos sair de "nós próprios"..

abraço

intruso

Rui Luís Lima disse...

olá vida de vidro!
ficamos esperando pelo teu regresso:)
beijinhos
paula e rui lima

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Que possas ser feliz vida fora.
Obrigada pelo aqui partilhado e deixado.
Que encontres a harmonia e o equilíbrio necessário na balança da vida de cada um dos teus dias.

Abraço.

Oliver Pickwick disse...

Nada de novo para ler. Pelo visto anda meio-ocupada, hein garota?
Um beijo, e tenha a melhor das semanas!

Anónimo disse...

Mas sem as dúvidas o que serão das certezas?Do pensar,ausência?!Acredito que tudo tem seu porquê,mesmo que no instante presente pareça sem sentido...então que venha os porque racioninantes ,pois sem eles a rotina descabelada chega e dizem que ela não é tão interessante...
Gostei do teu :D
;**

isabel mendes ferreira disse...

espero.


.



.



pacientemente.



que voltes.




beijo.

APC disse...

Dependurados andamos nós, neste existencialismo famtasma.
Vi que vais. Entendo-o bem.
Hoje lembrei-me de aqui vir. Não vim de blog em blog, por coincidência, porque calhou. Vim porque me lembrei disso e me apeteceu. Vim e vi que foste.
Mas volto a vir. E deixo um abraço!*

Vity disse...

Ola,

Passei e fiquei triste ao saber que te vais "ausentar", mas também sei que as vezes sentimos essa necessidade (já aconteceu comigo).

Só espero que não demores muito, e, logo logo, sintas não a dor das feridas abertas, mas a dor das cicatrizes.
Não que a dor seja menor, mas porque vai a caminho da cura...

Fica bem...
Beijos
Vity

Um Momento disse...

Hãn?
...
Leva um beijo meu... bem abraçado a ti..
Mas...
Volta

(*)

Presença disse...

Percebi que regressei tarde...
Contudo acredito na reciclagem, no reviver... no voltar a formar vidro, com graos de areia.

Bjo de cristal.

cõllybry disse...

Espero que um dia voltes_________até lá bjca doce...

Cõllybry

borrowing me disse...

volta....

bjs

Carracinha linda! disse...

Ainda ausente? Fico a aguardar o teu regresso!

Beijinhos

markus disse...

Com votos de bfds deixo um carinho e

“A pureza de um dia


A riqueza de um afago no olhar
A firmeza dos corpos tangível
A largueza das mãos a sonhar
A nobreza das almas invisível

Hoje escrevo sobre a pureza
De um dia simples que acabou
De um Mundo sem tristeza
E que em pensamentos ficou

Bjos***************

bettips disse...

Aquela fotografia da Mena, parecia vidro...
E agora, passar aqui, com luz velada, de costas voltadas... alguns de nós o fizeram, por esta altura, estranho...como uma onda desalentada que vem morrer na praia deserta. Deixo-te carinho.

Diana disse...

não voltas?

Carracinha linda! disse...

Continuas desaparecida...

Beijinhos

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

No NATAL não peço, mas dou quanto posso.

Feliz Natal e pacífico 2008.
Um beijinho.

MADRUGADA... disse...

Que saudades Alice!...

Poesia Portuguesa disse...

São os porquês, que ainda tenho em mim, que me fazem "andar".

O porquê que deixei de te visitar, o tempo apagou, mas eu não esqueci a Alice, aquela que um dia conheci e olhei nos olhos a conversar, numa mesa de um almoço bloguistico.

Hoje apeteceu-me visitar a Alice, não a Vida de Vidro, ou outro nick qualquer, mas a Alice e perguntar-te se estás bem...

Deixo um abraço e o desejo que tenhas um feliz 2008.